domingo, 22 de abril de 2018

NAS NOITES DOS FINAIS DE SEMANA, REINA A DESORDEM NA CALÇADA DA ORLA PRAIA DA BICA

              A bagunça que rola nas noites dos fins de semana na orla da Praia da Bica está deixando os moradores do local com o humor péssimo. O som alto de alguns poucos quiosques que não respeitam a lei do silêncio e mantém o barulho até quase as 3 horas da madrugada inferniza a vida de quem mora em frente deles. O fato está gerando revolta contra todos os quiosques. 
               As denúncias que chegam à redação do jornal se juntam as dos motoristas que reclamam de carros mal estacionados perto de quiosques, parados em lugar proibido, prejudicando fluxo do trânsito e a movimentação dos outros veículos de motoristas que usam o trajeto pela Praia da Bica. Além disso, obstruem a faixa exclusiva para os ciclistas. Um caos!
               Há muita desordem na orla, durante as noites das sextas, sábados e domingos. Frequentadores da Praia da Bica reclamam de muitas mesas e cadeiras colocadas nas calçadas e que impedem o passeio dos pedestres e os praticantes de caminhadas que precisam correr o risco de atropelamento ao serem obrigados a andar pela rua.
               A obstrução de uma via pública é uma prática ilegal e a quantidade exagerada desses equipamentos atrapalhando as pessoas, podem até gerar mais lucros para alguns quiosques, mas nunca deveriam prejudicar os cidadãos que andam pelas calçadas.
               O tamanho das ilegalidades é intolerável. Com isso, a orla da Praia da Bica está sendo contagiada por um clima ruim, que contamina as noites daquela bela região.
               Cabe, principalmente, aos donos de quiosques, interessados em manter na orla atividades dentro da legalidade, ações positivas para estabelecer uma nova ordem com responsabilidade e que respeite os moradores e pedestres com o qual dividem o espaço e continuem a gerar negócios, respeitando os direitos de todos os outros cidadãos.

SERVIÇOS DA LIGHT SÃO MUITO RUINS E NÃO ATENDEM OS MORADORES À ALTURA DOS PREÇOS QUE COBRA

              A comunidade da Ilha do Governador sofreu bastante com o forte temporal que atingiu a região na quinta, dia 15. As autoridades atualizaram para 255 a quantidade de árvores que foram derrubadas pela forção da ventania e o trabalho de normalização das vias e calçadas só deve chegar ao fim nos próximos dias.
               Pegos de surpresa, após a meia-noite da quarta-feira de cinzas, muitos insulanos só se deram conta dos estragos ao amanhecer da quinta feira (15). O horário da tempestade, que durou pouco mais de uma hora, evitou danos ainda maiores se o fenômeno tivesse acontecido durante um horário de movimento de carros e pessoas. Além das árvores e postes algumas casas e veículos foram atingidos causando sérios prejuízos a algumas famílias.
               O processo de desobstrução de vias e calçadas, retirada de árvores e substituição de postes exigiu das autoridades a mobilização de equipes preparadas para lidar com dezenas de árvores gigantes que precisaram ser retalhadas de modo a possibilitar a remoção. A experiência serve de alerta para que as autoridades, principalmente durante esse período de chuvas, tenham em mãos planos e equipamentos sempre de prontidão. Felizmente na Ilha, região que foi a mais atingida, não houve nenhuma morte em consequência do vendaval enquanto na cidade cinco pessoas morreram.
A Light, empresa privada que cobra caro pela energia que fornece, parece que só pensa nos lucros. Pisou feio na bola e pela demora em suas operações para religar a luz e o péssimo atendimento, causou grandes prejuízos aos moradores e comerciantes. A falta de energia, em alguns lugares se prolongou por quase uma semana, estragando alimentos e produtos que precisam de refrigeração. Tudo foi jogado fora.

COLÉGIO NEWTON BRAGA COMEMORA 58 ANOS E CONTINUA A SER REFERÊNCIA DE ENSINO

               É preciso comemorar o resgate histórico do Colégio Newton Braga que comemora 58 anos de fundação neste mês de abril. Referência de ensino na cidade, o Newton Braga se recupera de uma crise devido à falta de recursos essenciais, negadas pelo Governo Federal até quase o final do ano passado. 
               A matéria publicada na página 8 desta edição do Ilha Notícias é uma homenagem ao aniversário do colégio e um registro animador de que essa grande instituição de ensino está de volta aos bons tempos, resgatando a alegria e orgulho de ser aluno do Newton Braga.
               Não há necessidade de explicar os motivos que levaram o governo federal anterior, sob o comando do PT, que tentou aniquilar as estruturas do colégio, diminuindo de modo absurdo recursos para o pagamento dos professores e manutenção do prédio. Entretanto, mesmo à míngua, a direção, professores e funcionários buscaram forças, se uniram e mantiveram o colégio funcionando e com a mesma qualidade de ensino. 
               Vencidos os momentos de dificuldades, o colégio renova projetos e mantém o exemplo de disciplina e qualidade de ensino. O pior passou, e certamente esse tempo de turbulência será lembrado como prova de que vale a pena a resistência e determinação para salvar um projeto maravilhoso de educação. Foi um exemplo de que os bons propósitos em boas mãos resistem e vencem. 
               Agora é tempo é de comemorar o aniversário do colégio e cumprimentar a todos que se mantiveram firmes e confiantes na luta para resgatar os princípios de ensino e educação que é modelo e referência na Ilha do Governador. 
Parabéns!

VERGONHA! MINISTROS DO STF BAIXAM O NÍVEL EM DISCUSSÃO E O BRASIL FICA PERPLEXO

               Na semana passada o bate-boca, entre os ministros Gilmar Mendes e Luís Alberto Barroso, do Supremo Tribunal de Justiça (STF) foi transmitido pela televisão e repercutiu mal em todas as camadas da sociedade brasileira, confirmando, de modo lamentável, a falta de estatura de alguns membros da mais alta corte de justiça do Brasil.
              Todos sabemos que o colegiado do STF é constituído por juristas indicados pelo presidente da república, cuja escolha, entretanto, pode as vezes não ser a melhor nem contemplar os mais competentes. 
               Uma vez empossados, os ministros se transformam em figuras engraçadas que fazem gestos caricatos de reis embevecidos pelo poder e usuários de ideias ininteligíveis. Desconfio que na maioria das vezes não esclarecem nada e escondem a verdade para proteger interesses.
Quando flagrados pelas imagens das televisões ostentam olhares vaidosos, mas se apequenam diante do julgamento da população e deixam perplexos e frustrados os cidadãos brasileiros que tinham grandes expectativas e orgulho de um STF que possivelmente era melhor quando não tinha o espaço midiático de hoje.
               As atitudes e palavras de alguns desses ministros não servem de exemplo para alunos do primeiro ano do ensino básico. É uma vergonha!
Estou decepcionado. Sempre olhei com respeito e admiração para esses magistrados que ocupam os tribunais superiores. Mas hoje não vejo mais motivo para manter o mesmo olhar de fascinação. Poucos são aqueles que ainda demonstram postura e capacidade para continuar ocupando esse alto posto da justiça. Não confio mais neles e acho que a maioria do atual conjunto de ministros peca pela absoluta falta de humildade. O Brasil só continua funcionado, porque felizmente também tem gente muito boa entre eles, e nos bastidores, que seguram a barra. 

QUANDO ATRAVESSAMOS A PONTE A SENSAÇÃO DE SEGURANÇA MELHORA

               Morar na Ilha do Governador ainda faz uma baita diferença em comparação aos cariocas de outras regiões. É claro que perdemos um pouco da tranquilidade de alguns anos quando não havia quase assaltos e roubos, mas é um clima incomparável com a angústia vividas por aquelas pessoas que diariamente são obrigados a se esconder para não ser atingidas por uma bala perdida.
               Ainda sinto aquela boa sensação de segurança por estar chegando em casa quando atravesso a ponte. A loucura da insegurança que tomou conta da cidade nos faz sentir privilegiados em viver em uma região, cujos níveis de brutalidade e violência estão perto, mas não nos atingem com a intensidade das linhas Vermelha e Amarela.
               No ano passado a violência tomou proporções incomuns na Ilha com assaltantes em motos e invasões de diversos escritórios, residências e alguns sequestros. Nada nos fará acostumar com a violência e o jornal denunciou com veemência o aumento da criminalidade e do medo dos insulanos. Mas, é importante registrar que a ação e as estratégias usadas pela polícia nos últimos meses conseguiu conter o aumento da criminalidade que vinha preocupando a todos insulanos. 
               A invasão e destruição realizada por traficantes no posto da PM, localizado no alto da Vila Joaniza, no final do ano passado chegou a gerar a expectativa de que os bandidos tinham tomado aquela importante comunidade de modo definitivo. Todavia, a polícia militar reagiu e reconstruiu o posto, conforme matéria publicada, na página 7, desta edição. Além disso, foram construídas duas torres para vigilância e, na solenidade, a presença do comandante geral da PM e do 17º BPM são a garantia de que a retomada da ordem na comunidade é pra valer.