quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Boas Festas!



Papai Noel animou a festa de Natal do Ilha Notícias em 2011

Quero desejar Boas Festas a todos leitores que acompanham esta coluna e prestigiam o jornal com sugestões e críticas. As dezenas de e-mails que a redação recebe semanalmente revelam o apreço e confiança que o jornal adquiriu da população da Ilha, nas últimas três décadas. Quando alguma coisa não funciona ou estão na bronca os leitores usam a coluna “Boca no Trombone” para denunciar e exigir uma solução, principalmente das autoridades. A seção de “Cartas dos Leitores” tem outro estilo. Leitores escrevem para o jornal elogiando e registrando fatos do cotidiano. Pegam leve. Serve para fazer justiça e promover o reconhecimento de algum serviço. Nesta edição, por exemplo, tem o registro do bom atendimento da equipe médica do Hospital Paulino Werneck, com um doente. O elogio estimula todos a imitar o mérito e destaca a gratidão, sentimento indispensável e que deve estar sempre nos nossos corações.
Ao desejar Feliz Natal e um ano de 2011 repleto de boas notícias, muita saúde e prosperidade a todos leitores, quero também agradecer e registrar minha gratidão pelas parcerias, amizades e manifestações de confiança. Quero também, sinceramente, pedir perdão a quem ofendi e perdoar quem eventualmente pode ter me ofendido durante o ano. Aliás, isso vale para todo meu tempo de vida e se possível para as futuras encrencas que eu me meter.
O fato é que o final do ano, além das confraternizações habituais, o clima de harmonia tende a tornar os nossos corações mais emotivos e sinceros. A esperança de um novo ano, cujo futuro tentamos adivinhar, será aquele que estamos construindo com as nossas palavras e atitudes de hoje. No Ilha Notícias, a equipe não começa nenhuma semana sem orar a Deus, agradecendo pela vida e por cada edição que vai às ruas. Sempre pedimos que o jornal seja um excelente veículo de utilidade pública e informação para os leitores, e que proporcione resultados fantásticos para os investimentos dos anunciantes. Estamos preocupados em ajudar a construir o futuro, fazendo edições com informações de qualidade. Hoje, e em 2011, o Ilha Notícias vai continuar a ser referência no que faz de melhor: gostar de gente.





sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Papai Noel e paraquedistas na festa de Natal, domingo (19)

Ninguém pode perder a chegada de Papai Noel de helicóptero que acontece neste domingo à tarde na Portuguesa. É uma das maiores festas, aberta ao público da cidade, e que já se realiza há três décadas, sempre trazendo diversão e alegria para as crianças da Ilha do Governador. O fato de ser um evento que qualquer pessoa, criança ou adulto, pode entrar de graça já é muita coisa nos dias de hoje.
Atualmente, as festas de Natal estão restritas a grupos de funcionários de grandes multinacionais e cada vez mais longe da população mais humilde que muitas vezes não tem motivos nem como comemorar o Natal.
Até alguns anos a TV Globo realizava uma grandiosa festa de chegada de Papai Noel no Maracanã com a presença de artistas que atraíam mais de cem mil crianças que vibravam, principalmente quando Papai Noel chegava. O evento da Globo deixou de acontecer e imagino que frustrou muita gente, cuja programação da família em dezembro era proporcionar aos filhos e netos a oportunidade de assistir uma grande festa dedicada ao público infantil. Como eu acredito que a figura do bom velhinho pode contribuir para o sonho inocente das crianças, que ficam muito felizes quando o helicóptero sobrevoa as arquibancadas, nunca vou deixar de realizar esse evento. Quero ver adolescentes junto com os pais vibrando com a coragem dos paraquedistas e se emocionando com o Papai Noel. Vamos trabalhar para isso e contar com a ajuda de Deus para que o público da Ilha nunca fique frustrado e possa ter momentos de alegria inesquecíveis.
Para isso tenho contado sempre com a parceria do amigo Antônio Augusto de Abreu, presidente da Associação Atlética Portuguesa, no estádio em que a festa se realiza. Nunca nesses trinta anos, houve qualquer incidente, é um programa seguro em que as famílias podem comparecer com tranquilidade se divertirem e, com sorte voltar para casa com um bom presente de Natal.

Espero você lá!
 

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Linha com cerol mata motoqueiro

Este episódio da morte de um rapaz causada por uma linha de pipa com cerol é um absurdo. Sem dúvidas que soltar pipas é um lazer saudável, que diverte crianças e adultos. É lindo o cenário das comunidades e praças com dezenas de pipas coloridas no ar e a contagiante “briga” para cortar a pipa dos outros. É uma disputa de habilidades que diverte e já inspirou filmes e muitas histórias. Todavia, quando linhas com cerol ficam “a deriva” pelos ares e caem em lugares inesperados - como uma rua - elas podem fazer vítimas fatais. O cerol é simplesmente vidro moído que aplicado com cola na linha, transforma-se numa perigosa arma. É tão trágico o corte no ser humano que quando atinge alguma artéria é difícil a vítima sobreviver.
Os motociclistas são vítimas potenciais porque o capacete só protege a cabeça e a roupa também deixa vulnerável o pescoço. A cabeça pode ser decepada facilmente como já aconteceu em diversos casos semelhantes ao ocorrido nesta semana no Cocotá. Qualquer pedaço da linha pode ser mortal. O uso do cerol deveria ser proibido, e a polícia ou principalmente a guarda municipal, tinham que reprimir com mais fiscalização na área do Aterro do Cocotá, local onde, nos fins de semana, se concentra uma grande quantidade de pessoas soltando pipas. A vista de todos, alguns preparam suas linhas com o cerol usando os alambrados e brinquedos do parque para esticar a linha e colocando em risco as famílias que passeiam pelo local.
Se esvaindo em sangue, o rapaz que teve o pescoço cortado no Cocotá foi levado as pressas e socorrido na UPA 24h, que fica perto do local da tragédia, mas ele acabou morrendo. Quem é o responsável pela perda desta vida e a dor da família? Acho que todos nós que assistimos as coisas acontecerem e não tomamos medidas enérgicas para conscientizar, principalmente crianças e jovens, sobre o perigo do cerol. Soltar pipa pode e deve ser incentivado com torneios e campeonatos, mas colocar cerol na linha deve ser combatido até pelos que soltam pipas.
 
 

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Trigésima festa do Papai Noel é dia 19

Com os paraquedistas na festa de 2009

Rapidamente entramos no mês de dezembro e já faltam só cerca de 20 dias para o Natal. No domingo dia 19, vamos realizar pelo trigésimo ano consecutivo, a maior festa de chegada de Papai Noel à Ilha do Governador. Como sempre o cenário será o belo estádio da Associação Atlética Portuguesa, em cujo campo é montado o palco que vai exibir diversas atrações para alegrar as crianças da Ilha. Papai Noel será a grande atração e chegará de helicóptero, logo depois do show dos paraquedistas nos céus da Ilha.
A festa é tradicional e atrai principalmente as crianças das comunidades da Ilha. A emoção de ver Papai Noel na Portuguesa é a materialização de sonhos, sobretudo para a criançada que tem pouca esperança de ganhar um presente de natal. Infelizmente é real e verdadeira a triste constatação de que, alguns dos nossos vizinhos que moram na Ilha do Governador, ainda não tem condições de dar um presente aos seus filhos. É por essa razão que a chegada de Papai Noel se reveste de emoções. O simples sorriso de uma criança pobre durante a apresentação dos palhaços ou na chegada do Papai Noel de helicóptero tem um extraordinário poder de nos animar e justificar a realização da festa nos últimos 30 anos. Sei de casos, de homens e mulheres, hoje com mais de 40 anos, que começaram a frequentar a festa levados pelos pais e hoje trazem os filhos.
Um outro ingrediente que anima a criançada e traz muita felicidade a quem ganha é o sorteio de dezenas de bicicletas. Ninguém vai embora até que a última seja sorteada pelo Papai Noel. E quero fazer um apelo a você leitor que eventualmente possa doar uma bicicleta nova e quer fazer uma criança muito feliz. Ligue para a Associação Comercial (2463-7442) e faça uma doação. Experimente a experiência de entregar pessoalmente o prêmio. É incrível a sensação de fazer a felicidade de uma criança.

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

População reage contra atos de terrorismo dos bandidos

Todos nós temos responsabilidades e devemos ter atitudes para livrar a cidade da bandidagem que aterroriza o Rio. Só com a participação e parceria dos cidadãos, os órgãos de segurança sairão vencedores deste confronto que nesta semana trouxe pânico para as ruas. A luta do bem contra o mal será vencida se deixarmos de lado o silêncio e a omissão. É preciso lembrar que se hoje nenhum dos nossos foi vítima, a qualquer momento poderá ser gente da nossa família que contabilizará prejuízos e dor. Vamos nos mexer e manifestar nosso apoio às autoridades.
Felizmente, até esta quinta (24) a região da Ilha do Governador não tinha registrado nenhuma ação criminosa que pudesse ter relação com a onda de crimes, cuja característica é incendiar carros particulares e ônibus, mudando a rotina da cidade e levando medo à população. Todavia, devemos estar atentos e denunciar qualquer suspeita de ações de bandidos em qualquer parte desta cidade que fazemos parte. Não podemos perder essa guerra, cuja consequência pode ser o retrocesso na ocupação das comunidades hoje pacificadas pelas UPPs, e a volta fulminante dos criminosos contra a população trabalhadora. Ao que parece os bandidos estão encurralados e amontoados nas comunidades que ainda não foram pacificadas e resolveram intimidar a cidade com atos terroristas. Se o momento é de confronto contra criminosos que nos roubam e matam, é preciso que a população se manifeste contra eles. É necessário o apoio de todos para que a polícia aja com firmeza neste momento. Afinal, essa causa não é só da polícia. Essa guerra é nossa e é contra o controle que os bandidos ainda exercem em dezenas de comunidades do Rio de Janeiro, cujos moradores vivem oprimidos. A oportunidade de diminuir o poderio dessas organizações criminosas é agora. É um momento de confronto que precisa de ações contundentes, cuja participação de cada um de nós é importante. As armas que dispomos é denunciar os criminosos e, por outro lado, estimular nossos vizinhos, amigos e cidadãos desta cidade a fazerem manifestações públicas de apoio à ação da polícia. Vamos vencer!

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

A Ilha na rota do crime

A Ilha do Governador não é mais exclusividade dos criminosos do Complexo da Maré. Policiais bandidos daquela região também resolveram realizar seus delitos na Ilha. A notícia é desesperadora porque a população fica confusa e não sabe mais em quem pode confiar, quando agentes fardados agem sorrateiramente abandonando suas responsabilidades no quartel (22º BPM) que trabalham para deslocar um veículo roubado na Ilha.
Além de ser ladrão de carros, o PM bandido reagiu atirando contra seus companheiros de farda que perceberam o crime. O bandido acabou morto para sorte da corporação que um dia antes tinha perdido um jovem policial abatido com um tiro na cabeça por um bandido no Centro da cidade. Essa ocorrência do Centro mostra o quanto é perigosa a atividade policial e as surpresas que o mundo do crime revela a cada dia. Um exemplo é o acontecimento desta semana aqui na Ilha: PMs que honram a farda poderiam ter perdido a vida de modo absurdo, pelos tiros disparados por um colega de farda que nada mais era que um criminoso.
Usar o posto de policial e a farda para roubar torna o crime maior. É muita covardia ter como escudo a autoridade e agir contra seus próprios companheiros da PM. Trata-se de delinquência monstruosa e sem limites. Imagine a vergonha da instituição e dos bons policiais que são a grande maioria da corporação. O próprio comandante geral da corporação coronel Mario Sérgio Duarte disse à imprensa, nesta quinta (18), que estava envergonhado e pediu desculpas à população pelo fato.
É preocupante constatar mais uma vez que a Ilha do Governador é a rota dos bandidos das redondezas. Existem vulnerabilidades que não sei identificar além da falta de policiais no batalhão da Ilha. Há 35 anos eram mais de mil homens no 17º BPM, e hoje a tropa não chega a quatrocentos. Embora a Ilha só tenha uma via para entrar e sair, parece que é isso que motiva a bandidagem. Será? Por que?


sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Pichadores voltam a atacar a Ilha


Parque Manoel Bandeira


É terrível, e não dá mais pra ficar quieto. É insuportável a poluição e os prejuízos causados pelas pichações em praças públicas, prédios comerciais e residenciais da Ilha do Governador. A sujeira é tanta que muita gente tem deixado de alugar salas comerciais em lugares com pichações porque fica com vergonha e medo de prejudicar a imagem do seu negócio.
Os desequilibrados que fazem essas pichações são jovens covardes que se escondem nas madrugadas e criminosamente destroem o patrimônio alheio com frases enigmáticas e imbecis. Além de colocar suas vidas em perigo, eles invadem a privacidade de apartamentos e residências, provocando o desespero de mulheres e crianças que eventualmente dão de cara com um desses desajustados.
Pichar é crime - artigo 163 do Código Penal - segundo informa o Dr. Luiz Varanda, presidente da OAB-Ilha, e dá cadeia com pena de um a seis meses. Portanto, ajude a desmascarar os pichadores para acabar com esse mau exemplo, aparentemente de bobalhões, que provoca enormes prejuízos. Na Estrada do Galeão são centenas de imóveis que ficaram desvalorizados e cujas fachadas vão perpetuar nas pastilhas ou mármores desenhos bestiais de pichadores que têm se reunido à noite em diversos bairros da região. Nessas reuniões, segundo um dos participantes, eles tramam aonde vão atacar, agindo como verdadeiras quadrilhas de bandidos.


Denuncie esses crimes, ligue pra polícia: 2334-6308 37ª DP e 2334-6331 17º BPM.



Texto publicado em maio de 2007 e republicado nesta edição com adaptações.
 

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Os picaretas estão soltos


Um dirigente do Detran denunciou nesta semana uma operação inacreditável realizada por um grupo de vigaristas que está agindo na cidade. Eles atuam nos cruzamentos das ruas, onde um deles com uma câmera digital, fotografa as placas dos carros que passam. Com as placas, as fotos e a ajuda de despachantes, descobrem os endereços e nomes dos proprietários dos veículos. Com um computador e uma impressora a laser fazem uma montagem e imprimem boletos perfeitamente idênticos a uma multa, só que os dados do favorecido não são os do Detran, mas da conta de um laranja. A vítima recebe a multa pelo correio, fica na dúvida sobre a infração, acaba pagando no banco ou via internet, sem verificar no site do Detran se a multa existe mesmo. Na realidade, a pessoa foi vítima de um golpe. Por isso, antes de pagar qualquer multa de trânsito entre no site do Detran e verifique se a multa existe mesmo. Os picaretas estão soltos.
Golpes e vigaristas sempre existiram. A criatividade é uma das características desses tipos de criminosos, que se aproveitam da boa fé e do descuido da população. Na internet, mensagens transvertidas de oportunidades e depósitos de valores inundam os e-mails, roubando dados pessoais ou injetando vírus que desintegram informações nos computadores.
Também é bom tomar cuidado nas ruas da Ilha. Vigaristas e bandidos voltam a atuar com mais intensidade pela proximidade do natal, época quando as pessoas estão com 13º no bolso. Esses espertalhões procuram enganar principalmente as pessoas com mais idade, cuja aparente fragilidade, estimula o roubo. Embora a PM tenha câmeras instaladas nas áreas bancárias e aumentado o efetivo de policiais nas calçadas, é importante que todos, mesmos os mais jovens, estejam alertas antes e após utilizarem dos serviços em agências bancárias. Os vigaristas estão nas ruas, cuidado!


sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Lei eleitoral beneficia estuprador que violontou 23 mulheres na Ilha

                                        
É inacreditável que o maior estuprador de todos os tempos que a Ilha do Governador já conheceu, tenha sido solto pela polícia nesta semana, depois de ser identificado por pelo menos quatro de suas vítimas. Nenhuma lei poderia garantir imunidade para um criminoso cuja ação, além de destruir a vida de dezenas de mulheres, incluindo meninas de 13 anos. Esse tipo de criminoso deveria ser tratado como tratou suas vítimas e a lei tinha que determinar a prisão imediata em jaulas, houvesse eleição ou não. Quem quer o voto de uma besta humana como essa? É um absurdo a existência de leis que protejam esses verdadeiros demônios.
Além de estuprador, esse criminoso é um covarde ao agir sorrateiramente na escuridão das madrugadas contra pessoas indefesas, que moram em comunidade onde já vivem tensas diante das habituais condições de insegurança e pobreza. Pior ainda é utilizar-se do título de pastor para adquirir a confiança das suas vítimas e depois seduzi-las covardemente, sob ameaça de facas.
Há sete anos que esse estuprador agia na Ilha e Itaboraí sem que levantasse suspeitas. Ao certo ninguém sabe o número total das suas vítimas. A vergonha da denúncia e o trauma podem acompanhar essas pessoas pelo resto das suas vidas e trazer problemas insanáveis com as próprias famílias. A realidade é que o criminoso está solto pelas ruas. Imaginem o pânico que isso pode gerar nas comunidades. Até que este bárbaro esteja atrás das grades ninguém vai ter sossego e as madrugadas vão ser de medo. Se forem mantidos pela justiça os mesmos critérios da lei que não permitiu a prisão do criminoso quando ele estava na delegacia, esse bandido só poderá ser preso pela polícia, 48 horas após as eleições deste domingo. Até lá o estuprador já poderá ter cometido outros crimes e fugido para longe para começar uma nova vida de crimes, arruinando a vida de mais mulheres.





sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Lula visita estaleiro Eisa



O presidente Lula vai estar presente, na tarde desta segunda (25), nas solenidades de lançamento de mais um navio fabricado no Estaleiro Ilha. A embarcação, que será lançada nas águas vizinhas à Praia da Rosa, vai se chamar Log-In Jatobá e foi encomendada pela empresa Log-In Logística Internacional.
Com cerca de 4 mil trabalhadores o Eisa é um dos maiores estaleiros do país, gerando desenvolvimento para o Brasil e emprego bom para muitos moradores da Ilha do Governador. A presença do presidente tem um simbolismo especial porque, além de outros significados, revela como é importante a parceria do governo federal, prefeitura e governo do estado para o sucesso da indústria naval. São em média quatro navios fabricados por ano pelo estaleiro que trabalha a todo vapor, exibindo produtividade e qualidade naquilo que fabrica. A prova disso é que existem encomendas de navios com entregas previstas até 2020, de armadores nacionais e internacionais, fato que demonstra a confiança na indústria naval brasileira.
O sucesso do Eisa é resultado do trabalho sério e competente de executivos e profissionais de alto nível, cujos conhecimentos e determinação transformaram as instalações do falido estaleiro Emaq, no cenário de festa que o presidente Lula vai ver e vibrar. A história mostra que mesmo a grandeza do Emaq, na década de 70 e 80, não suportou uma má administração, que além de sucatear a empresa, levou tristeza e desespero para milhares de famílias. Por isso é importante reconhecer o mérito e a coragem de investidores de visão, cuja sensibilidade, além de trazer lucro e impostos que geram mais possibilidade de programas de educação e saúde para o Brasil, garante a felicidade de milhares de pessoas que, direta e indiretamente, trabalham na construção das embarcações.

Viva o Eisa!


sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Serra x Dilma : impressões do primeiro debate do segundo turno


O primeiro debate do segundo turno das eleições de 2010, entre os candidatos à presidência da república, promovido pela TV Bandeirantes, na noite do último dia 10, foi decepcionante. A cada resposta defensiva dos candidatos eu ficava imaginando a oportunidade que, por exemplo, o velho Brizola teria para imobilizar o adversário. Vi mais fraquezas do que virtudes nos dois. Temas importantes como Copa do Mundo e Olimpíadas, que podem ajudar a alavancar o país internacionalmente, ficaram de fora do debate. No lugar disso, tanto Dilma como Serra insistiram em trocar acusações cujo resultado, na cabeça do eleitor indeciso, é de que os dois têm razão e, com isso, acabam perdendo votos preciosos nesta eleição cujo resultado é imprevisível.
Só para falar da nossa paróquia, garanto que um debate que reunisse Cesar Maia, Garotinho e Sérgio Cabral teria muito mais contribuição para a cabeça do eleitor do que os de Dilma e Serra, pisando em ovos nas acusações e respostas. Se os dois não dispõem de provas de assuntos demolidores é melhor que tratassem de elevar o nível do debate falando de assuntos que verdadeiramente interessam aos brasileiros. Como não vi os debates do primeiro turno, agora entendo porque o candidato do Psol, Plínio de Arruda, fez algum sucesso na mídia, apesar de inexpressivo politicamente. Os dois protagonistas que estavam com ele, e passaram para o segundo turno, não emocionam o eleitor.
Durante o debate, quando Dilma foi um pouco mais contudente nas críticas e todos esperavam uma reação indignada de Serra, ele simplesmente reclamou que a candidata usava uma velha estratégia do PT de denunciar as privatizações do governo Fernando Henrique. Serra reclamou disso umas três vezes e perdeu tempo que poderia ser aproveitado para ser veemente e eletrizar os telespectadores. Mas para isso falta talento, coragem e sobretudo condições para dominar o próprio emocional na frente das câmeras. Confesso que estou decepcionado com o resultado do debate. Domingo tem mais na Rede Tv. Torço para que os dois se superem e eu fique na dúvida de quem é o melhor. Acho difícil, mas quem sabe?
 

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

O efeito das eleições na Ilha


O resultado das eleições dos candidatos a cargos proporcionais para candidatos cujo domicílio é a Ilha do Governador, só registrou uma novidade: a eleição do delegado Zaqueu Teixeira, para deputado estadual. Ele se tornou mais conhecido como secretário de segurança no tempo da governadora Benedita da Silva. Zaqueu mora na Ribeira e obteve apenas 842 votos na Ilha. Os votos que o elegeram vieram de fora, principalmente do município de Queimados, cidade onde goza de muito prestígio e já foi candidato a prefeito em 2008. A reeleição da deputada Graça Pereira (que atualmente mora na Barra) já era esperada. O GCE que ela fundou há cerca de 30 anos é uma máquina de votos. As dezenas de milhares de pessoas de comunidades que durante esse tempo foram atendidas na instituição certamente ainda são reconhecidas à Graça, como mostram os mais de 29 mil votos conseguidos na Ilha.
Os outros 27 candidatos da Ilha não foram eleitos. Jimmy Pereira contou com o forte apoio da mãe, mas o vereador Jorge Pereira preferiu apoiar Rodrigo Maia e Jimmy ficou como segundo suplente na sua coligação. Com um cenário político sem mudanças na região, as questões mais graves da Ilha vão depender da eventual pressão popular ou da boa vontade dos governos. É o que acontece quando os eleitores não prestigiam os candidatos da região. No interior do estado, existem muitas cidades, cuja população é menor que na Ilha, mas os habitantes elegem representantes para a Assembleia Legislativa e Câmara Federal, num exemplo que até nas pequenas regiões é possível e necessário ter representatividade política. Sem lideranças políticas fortes, cidades e regiões ficam à margem das principais decisões e eventuais investimentos, que são direcionados naturalmente pelos parlamentares para as suas regiões. É normal que isso aconteça.
A partir de novembro as cabeças políticas começam a focar 2012 com as eleições para prefeito e vereadores. Para prefeito devem concorrer o atual, Eduardo Paes, Garotinho, Cesar Maia ou Índio da Costa, Wagner Montes e outros. Até lá!

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Abra seus olhos e escolha um bom candidato



Às vésperas das eleições é oportuno lembrar aos nossos leitores sobre a importância do voto. Na coluna da edição passada, destaquei a responsabilidade que cabe a cada um de nós brasileiros na escolha dos candidatos. E insisto no mesmo tema. É importante refletir sobre as pessoas que serão eleitas no próximo domingo, afinal são elas que vão decidir a nossa maneira de viver. A gente queira ou não.
Foram cerca de 45 dias de propaganda eleitoral nas rádios e emissoras de televisão e a esta altura todos estamos saturados de tanta propaganda política. Isso sem contar as milhares de placas pelas ruas e os milhões de panfletos distribuídos pelos candidatos desde o dia 7 de julho, quando começou a campanha de 2010. Acredito que a massificação foi forte e proporcionou aos eleitores a oportunidade de conhecer e analisar as propostas e os candidatos que combinam com as suas ideias.
Duas coisas, entretanto, vão acontecer e que são inexplicáveis. Tem gente que é alienada a tal ponto que no dia da votação acaba buscando no chão das ruas um panfleto de algum candidato para votar.
Esta cena eu já assisti muitas vezes e com certeza vai se repetir neste domingo. A atitude dos eleitores que agem assim é comparável ao gesto daqueles que votam em branco ou anulam os seus votos. Nos dois casos, de alienação e indignação, as pessoas acabam, na maioria das vezes, favorecendo políticos cuja ficha é imunda ou despreparados. Alguns desses oportunistas acabam se elegendo e fazem da atividade pública um verdadeiro circo, cujos palhaços somos nós.
Votar é um direito e obrigação. Abra seus olhos e escolha um bom candidato. Se na última eleição o seu voto não elegeu o candidato sério e competente que você queria, continue a votar com convicção nos políticos que você acredita. Se você ainda não conhece nenhum deles, procure, insista em encontrar. Eles podem ser poucos, mas existem. Vote! É o único instrumento que pode eleger pessoas dignas e com propostas sérias.
 

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Por um voto consciente

Esta edição do Ilha Notícias fecha o mês de aniversário da fundação do jornal. Na contracapa está publicada a foto da equipe que planeja, elabora o jornal e trabalha na sede da empresa. Outros colaboradores importantíssimos atuam na impressão e distribuição. O trabalho conjunto de todos esses profissionais é que permite a circulação do jornal todas as sextas. Faça sol ou faça chuva.
Uma das características do Ilha Notícias, que se mantém desde a sua fundação, é dar oportunidade ao leitor de conhecer os candidatos a cargos políticos durante as campanhas eleitorais. Democraticamente, o espaço cedido a todos é igual e a única exigência é que o candidato seja morador da Ilha do Governador. Com o perfil dos candidatos que serão publicados na próxima edição, dia 1º de outubro, o jornal terá publicado exatos 25 nomes com as suas principais propostas. Além da oportunidade para divulgação da imagem e promessas dos nossos políticos, o Ilha Notícias quer, principalmente, proporcionar aos seus leitores a oportunidade de escolher aqueles que estão mais sintonizados com as preferências de cada um.
O jornal, como os brasileiros que têm e assumem responsabilidades com a nação, sabe que é do trabalho dos eleitos em três de outubro que a qualidade de vida de cada um de nós pode melhorar ou piorar.
Os temas que todos políticos defendem como: educação, segurança e saúde, são responsabilidade dos governos, e os governos são dirigidos ou fiscalizados pela classe política, que muitas vezes cria e executa leis ruins e injustas. Por essa e outras razões temos a obrigação de eleger os melhores. Por isso, é muito importante conhecer a trajetória de quem você vai votar. Analise e reflita muito. O futuro você vai decidir agora. Anular o voto, votar em branco ou protestar elegendo um Tiririca da vida é condenar o governo e o parlamento à mediocridade, cujas consequências podem ser terríveis e o país ficar nas mãos de idiotas.
 

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Ilha Notícias completa 34 anos de história no bairro



O Ilha Notícias tem publicado neste mês de setembro, durante as comemorações dos seus 34 anos de existência, resumos com o perfil de alguns dos seus colaboradores que já fazem parte da história de construção do jornal. É claro que a trajetória de sucesso do Ilha Notícias se estende para mais de uma centena de funcionários e colaboradores, que ajudaram a construir a forte imagem de confiança que o Ilha Notícias desfruta hoje junto aos leitores e anunciantes.
Quando fundei o jornal em 1976, junto com o baiano Geraldo Rocha e o saudoso publicitário carioca Humberto Corrêa das Neves, não dimensionava uma linha de tempo para sua existência, mas sempre me pareceu infinita. Ao refletir que já existimos há mais de três décadas e constatar o quanto este jornal já participou da vida da região e do seu desenvolvimento, tenho a certeza que estamos fazendo um trabalho bem feito. A publicação dos principais fatos da semana, registrados de modo imparcial, permanecem como norma de redação, mesmo quando mudam as equipes de redatores e jornalistas. As pessoas mudam, mas todas que participam do Ilha Notícias são escolhidas por seus princípios éticos e competência profissional. É nas mãos de gente com essa formação e neste contexto que é feito o jornal. O sucesso da Ilha Notícias é medido pela procura do jornal nos dias que é distribuído, chegando a esgotar antes do final da tarde. As centenas de cartas de leitores, que chegam mensalmente, revelam que o jornal tem a confiança de todas as classes da Ilha. Estamos felizes e agradecidos a todos, principalmente a Deus, pelos 34 anos.
 

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Portal de segurança e a valorização da Ilha


O simples anúncio de que a construção do Portal de Segurança na entrada da Ilha é pra valer, criou um clima favorável na valorização dos imóveis da região. A obra está prevista para iniciar ainda em 2010 e deverá diminuir as estatísticas de crimes depois de pronta. A polícia garante que cerca de oitenta por cento dos delitos são praticados por bandidos de fora da Ilha.
O movimento de compra e venda dos imóveis da Ilha giram, principalmente, entre os próprios moradores que procuram imóveis melhores a cada ciclo de progresso profissional e ascensão social. Quem mora na Ilha gosta do bairrismo latente e da vida semelhante as cidades do interior. É uma região independente sem a circulação de veículos e pessoas para outras regiões. Não é um local de passagem como a maioria dos bairros da cidade. Quem circula na Ilha é porque mora, trabalha ou tem interesses para tratar por aqui. A exceção são os passageiros que buscam o aeroporto e voam para todas as partes do mundo.
A população da Ilha, estimada em mais de 350 mil habitantes, representa uma cidade de médio porte, cuja área residencial não é maior do que 10 km2. Uma população tão significativa explica porque cada pedaço de terra tem e terá um valor cada vez maior com a melhoria dos índices de segurança. O portal vai valorizar ainda mais os imóveis na medida que a demanda interna terá a concorrência, sobretudo, de famílias da zona norte da cidade e da baixada fluminense, que já reconhecem a Ilha como um lugar de excelente qualidade de vida.
Quem mora na Ilha e trabalha fora sabe como é agradável a sensação de passar a ponte e estar novamente em território insulano. Temos os nossos pro-blemas, é verdade, mas lutamos para diminuí-los. E com o portal, sem o risco dos bandidos de fora e com a promessa do governador Sérgio Cabral de instalar UPPs em todas comunidades da Ilha, a nossa região será a melhor da cidade para viver.



sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Votar sempre pelos nossos ideais



Tenho um amigo que quer votar em branco. Peço que não faça isso. Cada voto vale por si mesmo e é a forma que temos de lutar pela democracia. Votos brancos, nulos, de protesto, apenas servem para reforçar as posições que queremos combater. Votemos no que acreditamos, mesmo que percamos. Votemos novamente, e de novo, e ainda mais uma vez e quantas outras forem necessárias e possíveis para que a democracia triunfe. É por isso que respeito aqueles que estão próximos de mim, mas pensam de forma diferente: eles votam e lutam pelo que acreditam, e persistem. Outros, às vezes, sequer tentam.
Não devemos desistir pois definitivamente não traz frutos. Veja a oposição na Venezuela: omitiu-se numa eleição para seu parlamento, deixando o espaço totalmente livre para os seguidores daquele espantalho boquirroto que arruína o país. Hoje a oposição não tem quase espaço e o país literalmente transformou-se numa fazenda de um coronel, senhor da vida e da verdade.
Quando o ardor vem da juventude, entranha-se nas pessoas, que perdem a capacidade de perceber certas nuances de caráter em seus heróis. Há, pois, que se separar os que acreditam por filosofia daqueles que são acólitos por profissão ou por interesses menos nobres.
O que vemos no cenário político é um empobrecimento intelectual profundo, onde não há espaço para princípios. Os políticos se desinibiram e não têm mais comprometimento programático. O que interessa são os objetivos de grupos ou indivíduos. A oposição é das mais incompetentes. Chego a pensar que não temos efetivamente uma oposição digna desse nome, mas ramos separados dos mesmos interesses menores. Confesso que estou decepcionado. Faltam tribunos de cultura e coragem que façam suas vozes serem ouvidas, como o fez o grande então senador Paulo Brossard. Temos eventuais soluços que se ouvem, mas que logo são cobertos pelo manto do interesse maior.



(Baseado no texto de António Carlos Branco)
 

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Portal de segurança da Ilha evitará acesso de bandidos

                                 
O gráfico mostra os principais elementos que deverão compor o sistema
      
     A decisão do governo do estado de começar em outubro as obras para a instalação do Portal de Segurança deve ser comemorada como uma vitória da comunidade na conquista por mais segurança. Acredito que agora muitas transformações podem acontecer na região que de imediato terá seus imóveis valorizados e a demanda de novos moradores incrivelmente aumentada. Se morar na Ilha já era um privilégio, agora com o portal, o bairro vai se transformar, literalmente, num grande condomínio. O envolvimento e a participação da sociedade insulana junto ao governo, cobrando providência contra os bandidos de outras regiões que agiam fortemente na Ilha, encontraram eco junto ao governador Sérgio Cabral, e ele, acompanhado do secretário de segurança José Mariano Beltrame, anunciou, nesta semana, a construção do primeiro Portal de Segurança no estado. A obra será inédita na cidade e só depois outras regiões como a Urca serão beneficiadas.
Todo aparato tecnológico que será instalado junto com o portal deverá garantir a dificuldade de acesso e saída de bandidos e, assim, zerar os crimes cometidos por criminoso da Maré e de outras regiões próximas à saída da Ilha, como garante a delegada da Ilha Renata de Assis. Com essas medidas tenho certeza que finalmente a Ilha voltará a ser uma região modelo de segurança, como era há cerca de 40 anos atrás. As características geográficas permitem isso, sobretudo porque existe só uma via rodoviária de entrada e saída.
Junto com a notícia do portal, outras medidas estão sendo tomadas, como a chegada de mais policiais militares para o 17º BPM e o continuado posicionamento de pelo menos dez viaturas da PM, estacionadas em pontos estratégicos, durante grande parte da noite. Os policiais ficam em atitude de vigilância, gerando uma excelente sensação de segurança e é eficaz no combate aos delitos rotineiros.

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Guarda Municipal some das calçadas da Ilha

O secretário de segurança José M. Beltrame no 11° café da manhã dos empresários
     Sinceramente desconheço as razões que levaram a Guarda Municipal a praticamente sumir das ruas. Confesso que nos últimos tempos as críticas contra a eficiência do órgão eram constantes, mas daí retirar das ruas os agentes é uma medida um tanto drástica. Lembro que, até há algum tempo atrás, a participação da GM nos eventos promovidos pela comunidade eram saudados e tinha seu trabalho reconhecido pelas lideranças da região. Como exemplo, há cerca de dois anos a Associação Comercial da Ilha homenageou a GM e os inspetores que tinham responsabilidades com as equipes que trabalhavam na Ilha. Foi durante uma reunião da Aceig, cujo convidado especial era o secretário de segurança pública José Mariano Beltrame. Os comandantes regionais da Guarda Municipal estiveram presentes e fizeram questão de estreitar a parceria com a PM e a Polícia Civil. Discutiram os problemas de segurança da região e assumiam sua parte na tarefa de levar mais tranquilidade à população. Hoje a GM praticamente só participa das operações repressoras do choque de ordem, ou quando equipes da CET-Rio se deslocam para a Ilha com a missão de rebocar os veículos estacionados sobre as calçadas. É muito pouco para essa instituição que tem uma história de grandes serviços já prestados à cidade e à sua população. A Guarda Municipal sumiu das calçadas por que? Alguém sabe o motivo? Será que foi pelo protesto de muitos de que ultimamente estava trabalhando de modo confuso e permitindo o abuso da existência de ilegalidades no seu nariz? Hoje, quando são vistos agentes da guarda nas calçadas, eles estão sempre em grupos e parecem desligados das responsabilidades que deveriam ter na proteção ao patrimônio público e apoio aos cidadãos. Quanto a fiscalização do trânsito pode-se dizer que as vans ilegais venceram um confronto que nunca houve. As bandalhas e irregularidades cometidas pelo transporte alternativo correm, como sempre, soltas, num triste sinal que a Guarda Municipal desistiu do seu papel e quem paga a conta é o contribuinte. Pena!


sexta-feira, 13 de agosto de 2010

O perigo dos alimentos vencidos

Caminhões estacionam sobre a calçada e na rua emlocal proibido durante o dia

Uma das irregularidades que menos se deve tolerar é a venda de alimentos vencidos. Fala-se muito dos produtos pirateados que são vendidos nas esquinas e que acabam empurrando para a falência muitas fábricas e levando milhares de trabalhadores ao desemprego. É claro que a pirataria além de crime deve ser combatida por cada cidadão para não se tornar cúmplice de quadrilhas sem escrúpulos, que se aproveitam do trabalho dos produtores e talento dos artistas para se beneficiarem financeiramente.
Todavia, a venda de alimentos estragados para a população é uma situação muito mais grave. É uma atitude de covardia contra toda a população, sobretudo para os mais humildes, que muitas vezes compram produtos vencidos em promoções, cujos preços atraem os consumidores mais apressados, que não têm o cuidado de verificar e exigir o prazo de validade dos alimentos. Talvez falte uma campanha do governo para esclarecer a população sobre o assunto. Até a água mineral tem prazo de validade.
É chocante e causa perplexidade a constatação de que uma atividade comercial não mantenha rigoroso controle sobre os alimentos que tem em estoque e, principalmente, em exposição para venda. O caso do Assaí, onde a Fiscalização Sanitária que nesta semana encontrou diversas irregularidades durante uma fiscalização, descortina um tema que deve ser tratado mais a sério pelos consumidores. Levar para casa alimento estragado pode causar doenças sérias e contaminar gravemente pessoas da própria família, com a possibilidade de óbito da pessoa.


sexta-feira, 6 de agosto de 2010

Comunidades pacificadas: tranquilidade na Ilha

Vitor Belfort presenteia Cabral com réplica do cinturão de campeão mundial 
          

Sérgio Cabral é o acontecimento da semana. O evento que foi realizado, dia 2, na Green House, vai ficar marcado como a maior homenagem já feita a um político na Ilha. A presença maciça de gente de todos os setores da sociedade insulana, como executivos, pessoas simples e líderes comunitários, foi uma demonstração de reconhecimento dos setores sociais ao excelente trabalho que Sérgio vem fazendo à frente do Governo Estadual. As recentes pesquisas de opinião, que o colocam em larga vantagem sobre o segundo colocado, combinam com a empolgação do público que foi ao evento. Saudado pelo que já fez e pelo que ainda vai fazer, Cabral é a esperança dos moradores da Ilha para acabar com o domínio dos bandidos nos morros e trazer tranquilidade ao asfalto e sobretudo nas comunidades, cujas populações vivem tensas. Implantadas com sucesso em diversas favelas da cidade, as UPPs são a senha da paz. Ao dizer que pretende pacificar todas as favelas do bairro, o governador acertou no alvo. Com a pacificação, vem mudanças que vão acelerar o desenvolvimento da região, valorizar imóveis e melhorar muito a qualidade de vida dos moradores. Viva!
Por falar em mudanças, a União da Ilha também quer mudar a história dos vencedores do grupo especial. O presidente Ney Filardi garante que a escola vai estar entre as três primeiras colocadas no Carnaval de 2011, e não será surpresa se for campeã. Há sete meses do desfile, a União realiza, neste domingo, a segunda etapa de eliminação de sambas enredo, com uma animada noite que começa às 18h e que precisa ser prestigiada pelo público, não apenas pela animação da quadra, mas principalmente pela qualidade dos sambas concorrentes. Quatro já foram eliminados e entre os 18 sambas que estão na disputa, a conversa dos bastidores é de que são excelentes, e a tendência deste ano, é a União ter novamente um daqueles sambas-enredo que ficam para a história como obra prima da música. Portanto, todo mundo na União domingo!

sexta-feira, 30 de julho de 2010

Prédio do antigo Óperon cede espaço e história para o colégio Tia Lavôr

O prédio do antigo Óperon recebe mais de mil alunos a partir de 2° feira

A história do Colégio Óperon começou em 1977. O dono e diretor foi o professor de português Manoel Pereira Pinto que junto com a família administrou a escola durante esse período. Antes, no mesmo prédio, funcionou o Colégio Alfredo Filgueiras, fundado em 1958, cuja fama de bom ensino ia além das fronteiras da Ilha. O Óperon durante os 32 anos que formou milhares de alunos, passou por diversas reformas e ampliações. Tinha uma das melhores equipes de professores da Ilha que mantiveram a excelência no ensino. A modernização do colégio, a introdução de turmas do jardim e a construção de um moderno teatro revelaram o empreendedorismo do professor Manoel. Com quase 2 mil alunos matriculados por ano, o Óperon faz parte da vida dos moradores da Ilha que, de alguma forma, tiveram ligações com o colégio que agora passa para a história e deixa saudades. Vítima da inadimplência de muitos pais, o colégio fechou as portas no final de 2009.
Na próxima segunda-feira, às 10h, começa uma nova etapa do ensino no mesmo prédio. Será instalado nele o Colégio Estadual Tia Lavôr. Com isso, o ruído dos alunos vai acabar com a melancolia que em 2010 tomou conta dos corredores e das salas vazias. Mais de mil alunos da rede pública estadual estarão fazendo parte de um novo tempo do prédio que abrigou os colégios Filgueiras e Óperon. A sensibilidade do governador Sérgio Cabral em transferir para o prédio duas escolas que funcionaram por longos anos, precariamente, numa antiga fábrica de óculos, merece aplausos. Era um pesadelo para alunos, funcionários e professores as aulas nos colégios Terezinha de Melo Gonçalves e Rodrigo Otávio que não possuíam característica para funcionarem como colégios. Agora é vida nova para todo mundo no novo colégio. Que a boa qualidade de ensino continue como paradigma do novo prédio, cujo ambiente ainda continua sendo ideal para a formação de muitas gerações de brasileiros.

sexta-feira, 23 de julho de 2010

Bagunça nos estacionamentos rotativos da Ilha

                                                                        Foto do leitor Ruy Silva
     Cabine velha da Centro Park jogada no estacionamento em frente ao Mc Donald's        

É um desrespeito à população a maneira presunçosa que age a empresa concessionária que explora os três estacionamentos localizados na parte mais nobre da Estrada do Galeão. Numa nota desta edição, na seção Boca no Trombone, um leitor enviou a foto de uma das cabines da Centro Park Estacionamentos jogada há mais de vinte dias entre a calçada e uma das vagas do estacionamento. Os entulhos atrapalham os pedestres e deixam mais feio o local. Acho que eles esperam que a Comlurb tome a iniciativa antes que a empresa cumpra a sua obrigação e contrate um caminhão para retirar as geringoças.
Quem é concessionário público, como a Centro Park, tem as mesmas obrigações que qualquer empresa e não pode, sob hipótese alguma, tentar se esconder sob o falso manto de uma proteção de autoridade que não existe, só porque utilizam o nome da prefeitura. Pelo contrário, as obrigações são maiores porque tem objetivos de lucro numa área que foi construída com recursos da população. Deveriam conservar tudo limpo e com segurança. Mas nem uma coisa e nem outra.

Um funcionário toma conta de cada estacionamento e se algum motorista for assaltado ou um dos carros arrombados não há agentes para proteger. O lucro está acima da contrapartida de prestação de serviços e responsabilidades . A prefeitura também precisa fazer a sua parte fiscalizando com mais rigor e exigindo que a empresa contrate seguranças para dar tranquilidade aos motoristas que utilizam as vagas da Centro Park. Nos fins de semana o abuso é outro: as vagas são alugadas para as lojas de automóveis que fazem as tradicionais feiras de carros. Acredito que a prefeitura não vai fazer absolutamente nada porque não é possível que ainda não tenham visto as irregularidades. Vamos ver. O morador da Ilha que se dane, devem pensar eles.


sexta-feira, 16 de julho de 2010

Cuidado!!!


       Com o início da campanha eleitoral dia 7, o Brasil começa a viver uma nova etapa do processo democrático, cujas consequências estão diretamente ligadas ao voto de cada cidadão. Até o dia da eleição, 3 de outubro, temos tempo para refletir muito. E para ter elementos para essa reflexão é importante que os eleitores procurem conhecer os candidatos mais preparados, que concorrem agora para exercerem os cargos mais importantes na estrutura política brasileira. O povo vai escolher o novo presidente da república, senadores, deputados estaduais e federais. Ficam de fora os prefeitos e vereadores, cuja eleição será em 2012.
       É muito importante escolher pessoas sérias, experientes e preparadas para discutir e tomar as melhores decisões para solucionar os problemas atuais. Pessoas que tenham emocional forte e equilibrado para resolver assuntos importantes e inesperados que o futuro, e sobretudo a reação da natureza, reservam para a humanidade. A responsabilidade do eleitor aumenta a cada eleição. Agora os problemas mundiais e locais estão se tornando cada vez mais graves.
       Seja do lado de lá, onde habitam malucos terroristas e seus homens bombas, ou do lado de cá, com os sérios problemas que enfrentamos dentro das nossas próprias famílias, cujos jovens, em sua maioria, perdem cedo qualquer conceito moral de respeito diante a desmoralização que o ser humano, que é incentivado a aceitar como normal, principalmente através da televisão, as atitudes e relacionamentos inconcebíveis e vergonhosos. Só com pessoas corretas e corajosas, nos postos de liderança política, podemos ter alguma chance de imaginar um futuro melhor. Portanto cuidado! Aproveite os dias que faltam para a votação e busque conhecer candidatos sérios, se possível que morem na Ilha.
www.meadiciona.com/joserichard

sexta-feira, 9 de julho de 2010

Mais segurança na Ilha


Há cerca de duas semanas a Polícia Militar adotou um novo tipo de procedimento que acho muito eficiente para dar segurança à população da Ilha. Trata-se do posicionamento de diversas viaturas em pontos estratégicos durante a noite, com os giroscópios ligadas e os policiais atentos. Confesso que gostei da medida e acredito que a bandidagem também vai notar a presença policial nas ruas e os crimes devem diminuir. Acho que ligar por alguns segundos a sirene, de vez em quando, pode representar para todos nós a lembrança da presença dos agentes da lei e um sinal de que eles estão a postos para nos dar segurança.
Li, não sei onde, que em Nova York a polícia costuma se deslocar durante as madrugadas em velocidade, pelas ruas da cidade com as sirenes ligadas. De acordo com essa matéria, o barulho da sirene no silêncio noturno, paradoxalmente, dá aos novaiorquinos a sensação de segurança durante a noite quando as ruas estão vazias e os criminosos gostam de agir.
Na Ilha, se forem mantidas as viaturas nos mesmos locais, como tem sido nos últimos dias, além aumentar a sensação de segurança, a população saberá onde encontrar a polícia nos casos de emergências criminosas. Está de parabéns o comandante do nosso 17º BPM, Coronel Silvestre, cuja preocupação com o bem estar da comunidade faz parte da sua rotina de oficial preparado e responsável. A mobilização da sociedade e de todas as instituições insulanas deve ser para sensibilizar o secretário de segurança José Beltrame em transferir mais policiais militares para o quartel da Ilha. São necessários cerca cem homens para que seja possível manter uma rotina mínima de segurança no bairro. Enviar e-mails ao governador e ao Beltrame, pedindo mais policiais, é uma forma eficaz de fazer pressão.
 

sexta-feira, 2 de julho de 2010

Seleção sem todos os melhores

Esta Copa nos traz ensinamentos do mundo do futebol que vão além das Jabulanis e Vuvuzelas. Sabia que o tal de Cristiano Ronaldo da seleção de Portugal era bom de bola, mas fiquei perplexo com o jeitão do “melhor do mundo” na hora de bater as faltas. Sua vaidade supera a beleza anunciada pelas mulheres. Os telões dos estádios servem de espelho para Cristiano ajeitar a toda hora o visual e perder a atenção nos jogos. Tanto é verdade, que o time da turma do fado já voltou para casa, depois da derrota para a Espanha. O craque português foi um fiasco como jogador, mas deixou um estilo de jogo diferente e feio, ao tomar distância para bater as faltas nos jogos. Que pose! Pena que nossos Ronaldos não estão por lá. Eles seriam capa das revistas e jornais de todo mundo, pela beleza do futebol arte que possuem. Mas vocês sabem como é o Dunga. Um chato! Deixou excelentes jogadores de fora da seleção como: Neymar, Ganso e o goleiro Vitor do Grêmio. Os poucos craques que estão na África como o goleiro Júlio Cesar, Robinho, Nilmar, Kaká, Lúcio e Juan estão levando o time nas costas. Eles contam com eventuais lampejos de bom futebol do restante da equipe que parece se esforçar, sem muito brilho, para apresentar um futebol à altura do país Pentacampeão do Mundo.

Enquanto a maioria da população está ligada na Copa, não sabe que na próxima quarta-feira, dia 7, começa a campanha eleitoral de 2010. Aliás, acho que esta ficha só vai cair depois do último jogo na África do Sul. Difícil e chata vai ser a transformação de cada um de nós torcedores em eleitores. Ainda bem que os programas políticos só vão ao ar na segunda quinzena de agosto. Para os políticos que tiveram seus nomes homologados durante as convenções de junho, o momento é de formar as equipes de campanha, bolar e encomendar os materiais de propaganda permitidos pela legislação eleitoral. Eles sabem que agora ninguém quer falar de política. É só futebol.


joserichard@uol.com.br



www.twitter.com/joserichard

sexta-feira, 25 de junho de 2010

Efeitos que só uma Copa do Mundo faz


O clima de alegria da Copa do Mundo de Futebol é contagiante e, a cada vitória do Brasil, as esperanças de conquistar o Hexa aumentam. É incrível como todo o país para, literalmente, na frente dos aparelhos de televisão. A qualidade das imagens em HD e agora em 3D estimulam o público que percebe até as ranhuras aerodinâmicas da bola da copa. A Jabulani é suspeita e carrega a fama de muitas vezes não obedecer a direção de quem erra o chute. As vuvuzelas, entretanto, são imbatíveis. O zumbido delas será eterno aos ouvidos de quem quiser rever algum jogo desta Copa.

Todas as nossas atenções estão voltadas para a África do Sul e não poderia ser diferente. O Brasil é o único pentacampeão, tem Pelé, o melhor jogador de todos os tempos e, apesar do Dunga não levar Ronaldinho Gaúcho e Ganso, nós vamos sempre torcer pela vitória da seleção. O futebol é a paixão do brasileiro. Mas quero alertar a todos os nossos leitores que uma imensa tragédia aconteceu no nordeste. Exatamente na divisa entre os estados de Alagoas e Pernambuco, mais de 100 mil brasileiros ficaram, nesta semana, desabrigados pela incrível força das águas dos rios que transbordaram violentamente. Mais de cem mortos já foram anunciados. Falta água, comida, agasalhos e roupas. Não deixe de torcer pela seleção, mas encontre um meio de ajudar nossos irmãos nordestinos.

sexta-feira, 18 de junho de 2010

Guarda Municipal ausente na Ilha

A completa ausência de agentes da Guarda Municipal nas calçadas da Ilha do Governador, nos últimos dias, é preocupante. Há poucas semanas, quando o prefeito Eduardo Paes instalou na Ilha, por quatro dias, a “Prefeitura Itinerante”, ocasião em que se comprometeu em realizar diversas obras na região, os guardas municipais estavam presentes em grande número em todos os locais do bairro, o que prova que eles ainda existem.

Acredito que os crescentes índices de assaltos, sobretudo a pedestres, pode-se creditar, em parte, a Guarda Municipal, cuja ausência nas ruas deixa de inibir os pequenos furtos, principalmente contra a população de mulheres e idosos. A Polícia Militar pouco pode fazer contra a nova onda de assaltos que agora se estende a lojas e salas comerciais. O 17º BPM precisa urgente de pelo menos mais cem policiais para tentar controlar a segurança no bairro. O recuo da GM prejudica muito a população e coloca em risco todos nós.

O Cacuia e a Portuguesa são os locais mais visados. Essas regiões eram onde os agentes da guarda municipal se faziam mais presentes. É verdade que as críticas sempre foram muitas contra a GM, mesmo quando eles ainda estavam pela Ilha. Muita gente dizia que alguns guardas eram distraídos, ou ligados apenas em multar motoristas de carros particulares que circulavam desatentos sem o cinto de segurança, mas deixavam rolar o transporte alternativo ilegal. Se a população reclamava de alguns guardas, com razão, agora, com o aumento da criminalidade nas ruas, acha que tudo está pior porque a Guarda Municipal sumiu.
Uma boa notícia! Um grupo de moradores do Quebra Coco anuncia que obteve licença de órgãos públicos para colocar cancelas nas ruas de acesso e controlar a circulação de veículos no bairro. O Quebra Coco é um dos mais visados pelos bandidos da Maré, em razão da facilidade de fuga para fora da Ilha.

sexta-feira, 11 de junho de 2010

Protesto contra o abandono da empresa Barcas S/A


Quatro embarcações estão apodrecendo no caís do Cocotá


Tem coisas que eu não consigo entender. Uma delas é o serviço ruim que a empresa Barcas S/A está oferecendo à população da Ilha. Lembro que a empresa lutou para mudar o terminal da Ribeira para o Cocotá, sob a alegação de que a Ribeira era um local distante para a massa de trabalhadores que se dirigiam diariamente ao centro da cidade.
Com a estação no Cocotá, contando com um amplo estacionamento, geograficamente no centro da Ilha e acesso a mais linhas de ônibus, a empresa pretendia multiplicar a quantidade de passageiros que transportava e assim poderia garantir um serviço melhor e criar mais horários.
A lógica das Barcas S/A fazia sentido, e fui um dos que defendeu a mudança, na expectativa que, além da melhoria dos serviços e atendimento a maior número de pessoas, o bairro do Cocotá também sofreria uma transformação positiva nas suas atividades comerciais estimuladas pelo maior fluxo de pessoas circulando em função das barcas. Todavia, desde a inauguração do novo terminal, a Barcas S/A só fez promessas. Não colocou os catamarãs regularmente, como tinha combinado, para diminuir o tempo das viagens, que hoje beiram os cinquenta minutos e que cairia para menos da metade. A qualidade dos serviços piorou e, nos constantes atrasos das viagens, não costumam dar a mínima atenção e justificativa para os passageiros. Enfim, a expectativa de dar à população uma excelente alternativa de transporte, sobretudo nos dias de congestionamentos, se transformou numa triste frustração.
Com o número de passageiros diminuindo, diante da falta de confiança dos usuários, a empresa Barcas S/A resolveu transformar o píer de atração da Ilha num verdadeiro cemitério das suas embarcações velhas e canibalizadas. A medida é insólita. Já são quatro imensas barcas que apodrecem atracadas. São os símbolos do pouco caso que a empresa faz da Ilha e dos seus passageiros. O sonho das velozes embarcações transportando milhares de trabalhadores diariamente entre a Ilha e o Centro da cidade virou um pesadelo. Resta lutar para a coisa não piorar. A Associação Comercial da Ilha, cuja presidência tenho a responsabilidade de exercer, está enviando nesta semana à direção da empresa o seu protesto, exigindo que o Cocotá não se transforme definitivamente num imenso depósito de carcaças enferrujadas.

quinta-feira, 3 de junho de 2010

Mais escolas na Ilha, já!



Um problema grave de interesse público persiste na Ilha há muitos anos sem solução. É incrível, mas faltam escolas públicas de segundo grau para atender a demanda de milhares de jovens que completam o ensino fundamental na região. Muitos estudantes da Ilha são obrigados a frequentar escolas fora do bairro exatamente porque as duas que existem na região não têm vagas suficientes. É impressionante, mas nenhum governo até agora conseguiu cumprir o direito constitucional do cidadão e obrigação do poder público de oferecer escolas suficientes para abrigar alunos, pobres ou ricos, em todos os níveis de ensino.

Na Ilha também é necessária a construção de uma escola técnica, para preparar especialistas em profissões de nível intermediário. O mercado de emprego anda em busca de gente preparada para atender o crescimento industrial do estado e encontra muitas dificuldades para contratar técnicos com boa formação. A transferência do tradicional Colégio Óperon para escola da rede pública estadual, planejada há dois anos, se arrasta pelos corredores da burocracia estadual. A ideia era reabrir o Óperon em janeiro deste ano com cerca de duas mil vagas, para equilibrar a quantidade de alunos e a oferta de vagas. Uma excelente iniciativa toda travada. Por quê?

Com poucas escolas, os cursos supletivos à noite, não presenciais, têm sido a opção daqueles que não encontram vagas e mais tarde decidem estudar. É uma alternativa que na maioria das vezes não oferece a formação e conhecimentos adequados pelo simples fato de que, em grupo, o aprendizado se estende até nas perguntas dos colegas. E a interação permanente com um professor é fundamental.

Nesse sistema de ensino, os estudantes ficam sem o indispensável convívio social, que é quando eles têm a oportunidade de criar amizades e aprendem a se relacionar com os outros. Por tudo isso, e para que tenhamos mais brasileiros preparados, é necessário mais escolas. Urgente!

sexta-feira, 28 de maio de 2010

Samba e Futebol na Ilha, em aniversário

JR com os presidentes, Antônio Augusto, da Portuguesa ,e Ney Filardi, da União.  

Na próxima terça feira, dia 1º de junho, a Associação Atlética Portuguesa e o Grêmio Recreativo Escola de Samba União da Ilha vão render homenagens aos seus presidentes. É que, por coincidência, ambos fazem aniversário na mesma data. Eles são parecidos tanto no caráter quanto na bondade, e dirigem duas instituições que projetam a Ilha positivamente, além das fronteiras do estado.

Samba e futebol são as atividades mais populares do brasileiro e, talvez por isso, Antônio Augusto e Ney Filardi se pareçam tanto. O carisma, entusiasmo, dedicação e lealdade deles motivam centenas diretores e auxiliares que consagram o trabalho de ambos e o sucesso das suas entidades. Ambiciosos cogitam ser campeões no futebol e no samba. Quando eventualmente não atingem o objetivo, eles não fogem da luta e são reverenciados pela maioria, que os respeitam, admiram e se submetem à autoridade natural. Se há alguma coisa impossível para fazer por suas agremiações, eles é que vão fazer (com a ajuda de Deus). Destemperados, não aceitam traições, mas reconhecem o mérito dos amigos e companheiros sinceros, aos quais sempre estão prontos para ajudar.

Tenho acompanhado ambos. Vejo os desafios solitários que muitas vezes eles precisam enfrentar. Entristecem-se com a falsidade de parceiros, que convivem lado a lado, e que tem inveja das suas vitórias e torcem por insucessos nas suas gestões. Centralizadores, Antônio e Ney sabem ouvir e entender os contraditórios. Conhecem os inimigos. Mas, sagazes e pacientes, disfarçam e esperam a hora certa. Líderes vitoriosos não se abalam.

Nos próximos meses tem eleições nas duas agremiações e eles serão reeleitos. Feliz Aniversário para os dois!

sexta-feira, 21 de maio de 2010

Terminal Pesqueiro na Ribeira


Finalmente o bom senso prevaleceu e muita gente tomou coragem para se manifestar a favor da construção do Terminal Pesqueiro que será instalado na Ribeira. Confesso que me sentia sozinho defendendo a ideia, e até recebi algumas mensagens pela internet contendo críticas severas.
Agora já tem até um documento favorável ao TPP (sigla do terminal) com dezenas de assinaturas, incluindo a maioria dos presidentes das associações de moradores de comunidades da Ilha. Todos querem o terminal, não apenas pelos benefícios e desenvolvimento para a região, como também pela geração de centenas de novas oportunidades de empregos.
Nunca fui contra aquilo que não conheço. Principalmente se o plano do Ministério da Pesca é construir, dar empregos e movimentar a economia. Muitos novos negócios vão surgir por toda a Ilha, sobretudo na Ribeira e Zumbi, a partir do momento que as obras do terminal começarem. Só vejo vantagens e benefícios para a Ilha.
Os técnicos encarregados de planejar e construir o terminal garantem que os modernos procedimentos e manipulação dos pescados não vão trazer nenhum transtorno ao bairro e ao meio ambiente. E neste aspecto é importante todos estarem atentos para eventuais irregularidades que possam surgir, e denunciar imediatamente ao Ministério da Pesca. Mas, entre os benefícios que o terminal pode trazer é sonhada duplicação da perigosa Estrada do Rio Jequiá.
 

sexta-feira, 14 de maio de 2010

O longo caminho para o asfalto liso

Guarabu, Cacuia e Ribeira não entram no Programa Asfalto Liso


Estou bastante preocupado com o prazo que foi divulgado para a conclusão das obras do projeto Asfalto Liso nas principais vias de trânsito da Ilha do Governador. Vinte e seis meses são mais de dois anos de obras para refazer o asfalto em apenas em quatro ou cinco das principais artérias do bairro, mas cuja circulação de veículos é intensa.
Dois outros problemas estão sendo comentados por moradores após a divulgação dessa notícia. A locomoção interna, que já é complicada vai ficar ainda mais difícil diante das necessárias interdições de partes dessas ruas para as obras. E conviver com esses incômodos por tanto tempo é inacreditável. O prazo anunciado deve estar errado. Outra questão que ninguém mais suporta são as centenas de buracos nas ruas intermediárias e que foram desconsideradas nas prioridades da prefeitura. É um absurdo! Todo dia motoristas encontram buracos novos cuja conservação demora muito para ser feita e os sistemas de amortecedores dos veículos não resistem, causando transtornos e prejuízos para os donos dos carros. Há meses buracos persistem e se transformam em crateras, sem que nenhuma medida seja tomada para solucionar esse problema, que é muito sério.
O Projeto Asfalto Liso é uma boa medida. Todavia a prefeitura não pode esquecer das outras ruas só porque não dão visibilidade política. Tratar com atenção e igualmente a todos moradores é uma questão central na democracia e direito de todos. Algumas ruas estão completamente largadas, sem a rotina dos serviços públicos e a atenção que seus moradores merecem. Falta de recursos parece não ser o problema.


segunda-feira, 10 de maio de 2010

Polícia acaba com quadrilha que assaltava no Jardim Guanabara



 
Veículos apreendidos durante operação da maré

A resposta dos órgãos de segurança do estado veio mais rápida do que todos esperavam. E foi fulminante. Depois da publicação na capa da edição da semana passada do Ilha Notícias, de matéria sob o título: “Bandidos ameaçam assaltar todas as casas do Quebra Coco”, e das denúncias de dezenas de outros crimes no Jardim Guanabara feitas por moradores e autoridades da região, o clamor chegou ao conhecimento do governador Sérgio Cabral. Ele agiu imediatamente e solicitou ao seu secretário de segurança, o gaúcho José Mariano Beltrame, uma solução para tranqüilizar a população da Ilha.

Acionadas a PM e a polícia civil, mais de duas centenas de agentes invadiram o quartel general da quadrilha que aterrorizava a Ilha. Os bandidos estavam reunidos perto de um local conhecido como Timbua, no Complexo da Maré. Depois de intensa troca de tiros, diversos criminosos, que faziam parte do bando que agia na Ilha, foram mortos e outros presos. Lá os policiais encontraram dezenas de motos e carros roubados, muitos já com os números dos chassis adulterados.

Beltrame aproveitou o sucesso da operação para anunciar que a sede do Bope vem, em breve, para perto da Ilha e que o estado vai construir de um pórtico de segurança na Estrada do Galeão. Com a quadrilha fora de ação e as novidades anunciadas os moradores, principalmente do Quebra Coco, já podem voltar a viver com mais tranqüilidade.

Obrigado Cabral! Nossa gratidão a toda equipe de segurança. Afinal, agora mais do nunca, a Ilha é do Governador.