sábado, 6 de fevereiro de 2010


Barcas velhas e condenadas ocupam
Estação do Cocotá e moradores
reagem

Quatro embarcações com mais de 40 anos de uso e que devem ser transformadas em ferro-velho, brevemente, estão ancoradas junto a Estação das Barcas do Cocotá. Segundo a reportagem do Ilha Notícias apurou, essas barcas foram proibidas de ficar no cais da cidade de Niterói porque atrapalhavam o movimento das outras embarcações. A empresa Barcas S.A diz que as trouxe para a Ilha do Governador, mas ainda não sabe o destino que será dado a elas. Enquanto isso, elas prejudicam a atracação das barcas que fazem o trajeto Ilha x Praça 15, pois um dos lado do píer fica ocupada. Moradores do bairro rejeitam a idéia do local se transformar num depósito de sucatas onde podem proliferar mosquitos além de trazer outros problemas.
Comunidade reage contra barcas velhas
Quem passa nas proximidades do Terminal das Barcas, no Cocotá, pode observar já ao longe quatro embarcações bem antigas, de propriedade da concessionária Barcas S/A, que estão ancoradas na estação. A empresa afirma que está em andamento, na agência reguladora (Agetransp), um procedimento administrativo de baixa das embarcações Lagoa, Itapetininga, Urca e Santa Rosa. A concessionária ainda não sabe o destino das embarcações. Informações, no entanto, dão conta que a empresa teria sido obrigada a retirar as embarcações velhas do cais de Niterói e obteve autorização para deixá-las ancoradas no Cocotá. O fato, entretanto, já revolta a população que reage a idéia do Cocotá se transformar em um cemitério de embarcações inservíveis, o que prejudica a beleza dos contornos do litoral.
Na opinião do insulano Carlos Júnior, as barcas enfeiam o cenário e dão um ar antiestético à região. “As embarcações velhas prejudicam a paisagem o bairro. Não sabemos aonde isso vai parar.”
A preocupação de Janaína Rovari com as barcas paradas no cais é pelo medo do local se tornar propício para o desenvolvimento de focos do mosquito da dengue. “A Barcas S/A está fazendo o Terminal do Cocotá, de depósito de barcas velhas. Com as chuvas intensas, a água se acumula formando criadouros do mosquito da Dengue.”
Denise Figueira concorda e vai além. “As carcaças dos pneus sem uso, servirão, progressivamente, de abrigo para mosquitos, bichos e quem sabe demais perigos.”A concessionária informou que uma equipe de inspeção naval da Capitania esteve no local e constatou que as embarcações estão fora de tráfego, em total segurança. Ainda de acordo com a empresa, as barcas não representam risco de poluição, pois todo o combustível e óleo foram retirados de seu interior. Sobre o perigo das barcas se transformarem em focos da dengue, a concessionária assegurou que foi realizado o procedimento de dedetização e combate às larvas do mosquito Aedes Aegypti, nas embarcações e na estação, em janeiro deste ano.

(fonte IN-1455)

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

Cuidado com a motos!

Nesta semana, em uma ação que durou poucos minutos, a polícia apreendeu, na Ilha, cerca de oito motos em situação irregular, com condutores inabilitados, ou sem capacete. Estatisticamente, se os agentes dedicassem mais algumas horas na ação fiscalizadora iriam lotar o depósito do Detran, para onde foram transportadas as motos.

É incalculável a quantidade de motocicletas que circulam pela Ilha, ilegalmente. Veículo rápido e que possui excelentes recursos para fugir de engarrafamentos é muito utilizado também para atividades fora da lei, em toda cidade. Na Ilha nem tanto. Mas, se a polícia relaxar na fiscalização daquelas que circulam inocentemente na frente dos agentes, sem placas e com os condutores sem capacete, a situação pode mudar rapidamente, como foi o caso da proliferação instantânea das kombis irregulares, há poucos anos, e que transformaram num caos o transporte de passageiros.

É urgente e indispensável que o 17º BPM tenha uma boa equipe de motociclistas para combater quem hoje trafega ilegalmente na cara de todos nós sem ser perturbado. O combate dos pequenos delitos é a solução para evitar grandes problemas no futuro. Torço que a nossa PM não ouça o ministro Tarso Genro que desdenhou das ações do Choque de Ordem e institua, imediatamente, ações para frear a circulação desse batalhão de motoqueiros suspeitos.

Aproveito para registrar o bom trabalho que o Coronel Gilberto Chagas vem realizando no comando da PM da Ilha, nas férias do Cel. Cid Souza. Parabéns!

joserichard@uol.com.brwww.blogjoserichard.blogspot.com