sexta-feira, 13 de agosto de 2010

O perigo dos alimentos vencidos

Caminhões estacionam sobre a calçada e na rua emlocal proibido durante o dia

Uma das irregularidades que menos se deve tolerar é a venda de alimentos vencidos. Fala-se muito dos produtos pirateados que são vendidos nas esquinas e que acabam empurrando para a falência muitas fábricas e levando milhares de trabalhadores ao desemprego. É claro que a pirataria além de crime deve ser combatida por cada cidadão para não se tornar cúmplice de quadrilhas sem escrúpulos, que se aproveitam do trabalho dos produtores e talento dos artistas para se beneficiarem financeiramente.
Todavia, a venda de alimentos estragados para a população é uma situação muito mais grave. É uma atitude de covardia contra toda a população, sobretudo para os mais humildes, que muitas vezes compram produtos vencidos em promoções, cujos preços atraem os consumidores mais apressados, que não têm o cuidado de verificar e exigir o prazo de validade dos alimentos. Talvez falte uma campanha do governo para esclarecer a população sobre o assunto. Até a água mineral tem prazo de validade.
É chocante e causa perplexidade a constatação de que uma atividade comercial não mantenha rigoroso controle sobre os alimentos que tem em estoque e, principalmente, em exposição para venda. O caso do Assaí, onde a Fiscalização Sanitária que nesta semana encontrou diversas irregularidades durante uma fiscalização, descortina um tema que deve ser tratado mais a sério pelos consumidores. Levar para casa alimento estragado pode causar doenças sérias e contaminar gravemente pessoas da própria família, com a possibilidade de óbito da pessoa.