sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Covardia com animais domésticos





É desigual o confronto entre o ser humano e um animal doméstico como a gatinha que foi morta esta semana no Village. Abandonado e sangrando muito, o pequeno animal foi morto por alguém cuja atitude chocou até quem não dá muita atenção para os animais.

Se não sou dos mais afetuosos com os animais domésticos, faço tudo protegê-los e estimulo seus donos para que sejam cuidadosos e dêem o máximo de liberdade aos pequenos animais. Não gosto de ver esses pequenos bichinhos enjaulados só para divertir o dono. Aprecio quem tem o gosto de tê-los soltos pela casa e pátio. É legal ver o carinho que estes animais têm pela família que os adotam. Sei de casos de exageros em que os animais são melhores tratados do que alguns seres humanos da mesma família. Acho até que tem uns idiotas que não merecem o mínimo de respeito como seres humanos. Costumam ser estúpidos e tratam os pais e avós como velhos incômodos. Nenhum animal doméstico é assim. Cativados pelo carinho humano, eles costumam ir até o fim da vida ao lado e protegendo o dono. São milhares os casos que emocionam o mundo e se transformaram em histórias de exemplos de lealdade, contados em filmes de sucesso. É incrível que, mesmo levando eventuais broncas, e apanhem um pouco, eles não guardam o mínimo rancor do dono. Esse sentimento seria tão bom nos homens.

O caso da morte da gatinha que vivia nas ruas perambulando pelo Village, revela a violência irracional de quem matou o pobre felino. De acordo com moradores do local, outros gatos estariam sendo exterminados, e o ato covarde deve servir de alerta aos moradores para estarem atentos com os outros animais e suas crianças. Quem matou a gatinha, com certeza, é alguém muito perigoso. Cuidado!