sexta-feira, 2 de março de 2012

Poluição que preocupa


Praia do Quebra Coco sofre com resíduos químicos



É inacreditável a poluição que atingiu as águas que banham a orla do Quebra Coco no último final de semana. Uma tintura escura, provavelmente de origem química, se alastrou em poucos minutos, a partir do meio-dia, saindo de uma galeria de águas pluviais, localizada no final da Rua Repouso. Como não há nenhuma indústria ou atividade comercial legal naquele bairro, acredito que tenha sido ato de algum irresponsável que despejou pela rede da sua casa uma grande quantidade de resíduo desconhecido e que pode ser perigoso para a saúde humana e a fauna marítima.

Nunca vi poluição igual que tenha afetado a cor da água de modo tão intenso. Seguindo o movimento das correntes marítimas, a mancha negra se deslocou pelo litoral em direção à Praia de São Bento deixando manchas escuras nas areias. Até terça-feira desta semana era possível observar que muitas partículas da sujeira decantaram e ficaram depositadas no fundo das águas. Não sei qual o produto derramado, mas duvido que seja boa coisa, do contrário não teria sido despejado sorrateiramente num sábado à tarde.

Confesso que essas atitudes irresponsáveis contra o meio ambiente me incomodam bastante. Fico revoltado quando algum pedestre joga papel na calçada ou um motorista lança pela janela do carro latinhas de refrigerante. Só entendo esses atos como de absoluta falta de educação e desrespeito com os outros seres humanos e a sociedade. Só criaturas absolutamente descomprometidas com a qualidade de vida, desta geração e das próximas, podem gerar atitudes estúpidas como sujar as ruas ou despejar detritos nas águas de rios ou do mar, agredindo a natureza e prejudicando todos os esforços para melhorar a qualidade das águas. Quem polui prejudica a vida e ajuda a provocar doenças graves. Devem pensar como aquela frase que circula na internet: "Jogo sujeira nas ruas para garantir o emprego dos garis". Mas na mesma rede a resposta é adequada na mesma linha de estupidez: "Então se mata para manter o emprego do agente funerário".