sexta-feira, 4 de maio de 2012

Ilha precisa de solução para o transporte de passageiros




Acredito que todos concordam que o Rio de Janeiro é a cidade da década no planeta. Não apenas porque até 2020 alguns mega eventos serão realizados na cidade, como Olimpíada e Copa do Mundo. E para tornar a cidade eficaz para os deslocamentos da população e dos visitantes, muitas obras estão em andamento por toda parte. Atualmente, quem precisa se deslocar no Rio acaba perdendo a paciência com os congestionamentos e as obras que ocupam ruas e quarteirões inteiros. As obras do BRT, por exemplo, estão mexendo com os nervos dos cariocas que perdem muito tempo nos desvios e afunilamentos. Todavia, depois de pronta a via será parte de uma nova maneira de viver na cidade e os passageiros do BRT não vão enfrentar engarrafamentos e sinais. O traçado do BRT é, praticamente, uma linha que corta a cidade ao meio, ligando pontos distantes como o Aeroporto Tom Jobim ao terminal rodoviário Alvorada, no coração da Barra.


Entretanto, com o vento dos recursos financeiros a favor do Rio, cujo prefeito de modo inteligente, aproveita o momento para deslocar o centro da cidade para a área portuária com investimentos bilionários, é oportuno que a Ilha do Governador tenha mais participação nos projetos de desenvolvimento urbano e econômico. Precisamos aproveitar as transformações para pressionar os governos para, por exemplo, resolver definitivamente a questão do transporte de passageiros para o centro da cidade e a zona sul. Seja através de mais ônibus, metrô, barcas mais velozes ou outra solução. O fato é que a população da Ilha, que já supera os 300 mil habitantes, não pode ficar literalmente presa quando, por exemplo, cai uma árvore sobre a Estrada do Galeão, como aconteceu na semana passada. Temos que pensar e agir com seriedade, essa questão que é prioridade para a qualidade de vida do povo insulano. E urgente!!!