sexta-feira, 16 de novembro de 2012

Blitz não diminui assaltos na Ilha

 
     A PM estabeleceu quase como prioridade das suas ações organizar uma blitz todos os dias, no início da manhã, na entrada da Ilha. Coisa sem nexo e resultado zero. Não se tem notícia de que alguma prisão tenha sido realizada em função dessa operação. Enquanto isso, persistem problemas graves que precisam da intervenção urgente da polícia, como assaltos, tentativas de assassinato, cracudos, sequestros e um verdadeiro oceano de irregularidades provocadas pelas vans e kombis.
     O único efeito da blitz, até agora, tem sido um enorme congestionamento e muitas reclamações de trabalhadores que chegam atrasados ao serviço. Além de terem que acordar mais cedo é desumano enfrentar congestionamento logo pela manhã. Os mais prejudicados são exatamente os trabalhadores que são obrigados a usar os ônibus que são obrigados a obedecer o trajeto passando pela operação. Os motoristas de automóveis evitam a blitz simplesmente desviando da PM pela pista que dá acesso ao aeroporto e retornando no posto de GNV localizado a poucos metros depois. A blitz sistemática de segunda a sexta sempre no mesmo horário não é eficiente e prejudica principalmente a população mais sofrida. Não acredito que exista razões que justifiquem as autoridades continuarem essa operação policial diária e que já persiste há algumas semanas. Os crimes continuam acontecendo e o único resultado, infelizmente, é o caos na entrada da Ilha.
     Espero que o comando do 17º BPM analise os resultados e reveja os critérios que determinaram essa ação. Os moradores da Ilha querem mais policiamento nas ruas e segurança para entrar e sair de casa, caminhar nas ruas sem serem perturbados pelos cracudos que ocupam, a cada dia, mais espaço nas calçadas. A população quer a polícia ao seu lado, protegendo o cidadão, e não longe, numa blitz de faz de conta.