sábado, 27 de julho de 2013

Ilha sofre com problemas recorrentes no transporte


Todas as manhãs e finais de tarde, ônibus lotados trazem desconforto
 aos passageiros que pagam caro pelas viagens 

            A propósito do resultado de uma pesquisa que o Ilha Notícias promoveu em maio, cujo resultado apontou o transporte como o principal problema dos habitantes da Ilha do Governador, com mais de 43%, quero registrar que, o que era ruim, está pior.
             O serviço de transporte marítimo de passageiros voltou a ser feito por embarcações muito velhas, com elevado risco aos passageiros e viagens muito lentas. O moderno e confortável catamarã é uma ilusão que raramente faz a linha do Cocotá à Praça 15. A concessionária CCR está se lixando para os moradores da Ilha e seu objetivo principal é sem dúvidas o lucro. Não existe comprometimento com os passageiros nem com a qualidade dos serviços. Além de tudo, só operam em horários que lhes convém e cuja lotação signifique arrecadação com lucro.
            Já o transporte feito pelas vans e kombis precisa ser regulamentado em caráter de urgência para acabar com as incertezas geradas por informações contraditórias. Tanto os motoristas e cobradores desses veículos, como os passageiros vivem inquietos diante de notícias confusas e que acabam trazendo prejuízos a todos. A ligação para o centro da cidade é importante e os ônibus e barcas não dão conta. Se não existe ônibus suficiente para atender melhor a população é evidente que o sistema alternativo ou complementar é a solução. É preciso colocar, logo, regras claras e cobrar dos donos das barcas, vans e ônibus, mais eficiência e responsabilidade. A população está cansada disso. A pesquisa já demonstrou.

joserichard@uol.com.br