sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

É absurdo prorrogar a exigência de itens de segurança nos automóveis

            

Air bag é um dos mais impoprtantes itens de segurança

            Estou intrigado com as declarações feitas pelo Ministro da Fazenda Guido Mantega que, nesta quinta (12), deu entrevista à imprensa sobre a sua decisão de prorrogar por mais um ou dois anos a fabricação de automóveis sem Air Bags e freios tipo ABS. Segundo a entidade que representa as montadoras de carros, a partir de janeiro, a norma seria cumprida integralmente por todos os fabricantes sem necessidade de nenhuma prorrogação. Há três anos que as empresas se preparam para só colocar no mercado carros com esses dois importantes itens de segurança. Desde 2010, que a medida vem sendo exigida e implantada de modo gradual.
            A justificativa dada pelo ministro é de que os novos carros equipados com Air Bags e ABS podem ficar mais caros em pouco mais de mil reais. O argumento de Mantega contraria todos os princípios e esforços que estão sendo feitos no Brasil para que as pessoas tenham mais segurança nos veículos. No mundo inteiro, há muitos anos, só são vendidos automóveis que ofereçam aos consumidores condições máximas de segurança. A vida é uma questão de prioridade e diminuir a gravidade de ferimentos nos acidentes pode significar que muitas vidas possam ser salvas. Com os freios tipo ABS, o carro freia mais rápido e possuí um sistema que permite maior aderência mesmo em pistas molhadas, possibilitando manobras que podem evitar desastres em condições inesperadas. 
             O governo agiu certo em 2010 quando criou regras e prazos para a adaptação gradual que deveria atingir 100% dos veículos após três anos de exigências progressivas. Agora é um absurdo tomar uma medida contrária, apenas porque o ministro acredita que as vendas de veículos possam afetar o caixa do governo. É triste constatar que é zero, o valor que o ministro da à segurança dos brasileiros que andam de carro.