sexta-feira, 4 de abril de 2014

Moradores da Ilha só terão estação do BRT no Fundão



A ponte estaiada que fara a ligação direta do Fundão ao aeroporto do Galeão

            Durante a reunião realizada na subprefeitura para ouvir o secretário municipal de transportes foi unanime o protesto dos participantes com referência ao péssimo serviço de transporte marítimo sob responsabilidade da CCR Barcas. Embora o secretário tenha anunciado que novas barcas serão entregues nos próximos dois anos para a linha Cocotá x Praça XV, ninguém mais acredita que as coisas possam melhorar nas mãos incompetentes daqueles que atualmente administram o sistema hidroviário de passageiros.
            Ficou a sugestão para a prefeitura assumir a linha por ser transporte marítimo no próprio município, mas não houve nenhum compromisso. Está claro que, na Ilha, as autoridades vão continuar apostando no transporte de passageiros utilizando os ônibus. Em 2017 quando estiver pronto a Transbrasil que vai ligar o Fundão ao Centro através do BRT, a expectativa é que mais linhas internas sejam criadas para transportar os passageiros até a Estação do BRT do Fundão, cujo maior benefício será o preço, hoje previsto em R$ 3.
            Sempre tive a impressão de que seria construída uma estação do BRT na Estrada do Galeão naquele canteiro, perto do posto de GNV, onde estão fazendo diversos viadutos por cima da Estrada do Galeão. Imaginei que ônibus de todos os bairros da Ilha iriam transportar os passageiros só até aquele ponto. A estação no aeroporto, segundo o que entendi na mesma reunião, terá BRTs em períodos maiores de tempo e cujo trajeto deverá ser praticamente direto até a Barra da Tijuca, passando sem parar por muitas estações. 
            Como as obras no Fundão ainda estão no início e a Transbrasil não foi licitada é possível que aja tempo para reestudos que solucionem alguns problemas como cruzar o fluxo intenso da Linha Vermelha para o acesso à Estação do Fundão.

joserichard@uol.com.br
www.twitter.com/joserichard

segunda-feira, 31 de março de 2014

Os bilhões perdidos e os aposentados





               
               Com tanto bilhões de reais perdidos pela má gestão pública e outros tantos engolidos pela corrupção não tenho mais dúvidas que as autoridades não possuem nenhum sentimento pelos brasileiros idosos e aposentados. Nesta semana, a imprensa denunciou e a presidente Dilma reconheceu que assinou um contrato em 2006, que numa canetada provocou um prejuízo de cerca de 2 bilhões à Petrobras e à nação.
               No Japão e alguns outros países civilizados, quando isso acontece a autoridade pública pede demissão e vai se esconder no anonimato da vergonha. No Brasil é diferente, na cara de pau não assumem.
               Como esses escândalos são cíclicos e vez por outra os jornais descobrem e denunciam um rolo, me coloco na pele dos trabalhadores que já suaram trabalhando e sendo descontados de impostos para sustentar a máquina gigantesca e insensível do governo federal. Se as pessoas do governo tivessem um pouco de humanidade não colocariam tantas dificuldades para distribuir remédios importantes para manter vivos brasileiros doentes, e pagariam pensões justas aos nossos aposentados.  A briga por cargos no poder, como acontece agora com a troca de ministros, obviamente não é apenas para ocupar um espaço. Muitos negócios lucrativos rolam a beira do gramado dos palácios e das empresas nacionais. É uma vergonha!
               Nossos pais, avós e bisavós que têm direito a aposentadoria continuam lamentando que o governo lhes dê às costas quando mais precisam de ajuda. Pessoas aposentadas, que há alguns anos ganhavam dez salários mínimos, hoje ganham menos de dois salários, porque o governo insiste em não dar o reajuste igual ao que dá aos brasileiros que estão na ativa. Quando os brasileiros mais precisam de ajuda é quando passam a ganhar a cada ano menos. Ninguém consegue se sustentar na velhice com esse critério injusto que mais parece uma péssima esmola do governo. Muitos brasileiros nessas condições estão morrendo enquanto eles perdem bilhões numa canetada e simplesmente dão de ombros. Fossem sérios, cuidariam de seus velhos com amor e proteção.

joserichard@uol.com.br
www.twitter.com/joserichard