segunda-feira, 28 de abril de 2014

Manifestos sem controle




Fim das UPPs só interessa aos marginais

               Grupos de manifestantes estão agindo por toda cidade. Surgem do nada. Inexplicavelmente queimam pneus, ônibus e outros veículos para protestar contra mortes de inocentes ou traficantes, gerando mais perigo quando resolvem enfrentar a polícia e provocam tiroteios, que muitas vezes matam mais pessoas inocentes. Esses conflitos tendem a piorar. Não existem mais parâmetros de ética e disciplina na política e em muitas atividades profissionais, onde vale a "lei de Gerson", aquela em que predomina levar vantagem sempre, mesmo enganando, ludibriando ou passando o outro para trás sem falar no roubo. 
              Por outro lado, os congestionamentos em toda cidade contribuem para irritar a população de todas as classes, que sofrem nos trens, ônibus e nos carros onde são submetidas a um ingrediente extra, que é o risco de assaltos. Onde isso vai parar ninguém sabe, mas é óbvio que o cenário é muito ruim para os próximos meses. Esse caso da refinaria de Pasadena, empresa onde a Petrobras jogou pelo ralo cerca de 1 bilhão, é combustível para alimentar explosões sociais caóticas e imprevisíveis. Aqueles que vivem à sombra das “bolsas de vantagens”, que os governos oferecem como esmola, e aos “invasores de carteirinha”, cuja existência deve-se a uma estratégia dos que insistem em se manter no poder a qualquer custo e conservar o voto no cabresto na ignorância. O problema é que perderam o controle em razão da existência de lideranças independentes, nascidas do caos, cujo objetivo é a anarquia para proveito próprio e que agride a maioria da população trabalhadora. Agora vai dar trabalho desconstruir esse atraso social. 
              Pobre Brasil!!!

joserichard@uol.com.br