sexta-feira, 10 de abril de 2015

Em Tubiacanga o mosquito da Dengue está sendo exterminado


              É fantástico o resultado que a Fundação Oswaldo Cruz obteve em Tubiacanga ao registrar apenas um caso de morador com sintomas da dengue no bairro durante o último verão. Para quem não lembra, em setembro do ano passado agentes daquela instituição, soltaram na comunidade cerca de 160 mil mosquitos Aedes Aegypti contaminados com a bactéria Wolbachia. As larvas resultantes do cruzamento com a espécie Aedes Aegypti produziu mosquitos da mesma espécie não portadores do vírus da dengue. Ou seja, segundo os técnicos da Oswaldo Cruz os mosquitos nascidos com essa bactéria não transmitem mais a doença, fato que comprova o sucesso da experiência que pode ser o início do fim desse pesadelo que tem provocado muito sofrimento e mortes.  
              A constatação do sucesso da experiência foi feita através da análise de mosquitos capturados recentemente em Tubiacanga, cuja população - que ficou desconfiada quando os agentes da Fundação Oswaldo Cruz soltaram milhares de mosquitos na região há cerca de seis meses –hoje tem motivos para comemorar. Atualmente mais de 70% dos mosquitos existentes em Tubiacanga são portadores da bactéria Wolbachia e a expectativa dos moradores é a eliminação absoluta dos riscos da dengue no bairro. Para os técnicos, os riscos ainda existem e a prevenção deve continuar com a recomendação de manter os locais sem acúmulo de água limpa.
             Historicamente os moradores de Tubiacanga eram as maiores vítimas da dengue, na Ilha. Dezenas de casos relatados todos os anos, inclusive da dengue tipo hemorrágica. O sucesso da experiência na Ilha deve motivar as autoridades a expandir o projeto pelo Brasil, sobretudo nas regiões onde a dengue hemorrágica causa mais vítimas. A notícia é excelente e os cientistas brasileiros merecem o reconhecimento de todos nós. 

joserichard@uol.com.br

segunda-feira, 6 de abril de 2015

Escândalos e mentiras geraram a crise. Mas não desista, mesmo sozinho você vai vencer.


             Quando uma crise surge, os mais inteligentes interpretam como oportunidade para criar novos negócios e atividades lucrativas. Os chineses sabem disso há muito tempo, tanto é que a palavra na língua deles tem apenas dois caracteres que significam: crise e oportunidade. Os mais fracos recuam e procuram argumentos para justificar sua própria incapacidade de fugir da estagnação e gerar crescimento e lucro. Qual o lado que você quer ficar nesse momento em que as notícias da imprensa apontam desaceleração nas atividades produtivas e diminuição das oportunidades de emprego? Acredito que todos querem estar entre os fortes que resistem e crescem nas dificuldades. Sem o interesse em dar cores partidárias ao fracasso, o fato do grave recuo da economia brasileira em 2015 é comprovadamente fruto da incompetência na gestão do país nos últimos anos. Pior ainda é a falta de humildade dos governos para reconhecer a culpa no desastre e a inexistência de projetos para propor a reconstrução do pais em parceria com a população.
             Enquanto os gestores do país batem cabeça e a justiça julga os corruptos e corruptores do esquema Lava Jato da Petrobras, temos que pensar soluções e encontrar rumos para atravessar o tempo de dificuldades agindo como os bons velejadores que aprenderam a navegar com vento pela proa. Também aprendi que as fortes tempestades é que geram os grandes comandantes. Então, vamos aproveitar esse tsunami de más notícias para revelarmos nossa capacidade de buscar soluções e criar nossas próprias oportunidades, seja de modo independente ou através de parcerias. Quando a tempestade passar seremos mais fortes.

joserichard@uol.com.br