segunda-feira, 20 de abril de 2015

População da Ilha sofre no deslocamento diário para o trabalho

            


             Quem é obrigado a usar ônibus para se deslocar diariamente para trabalhar fora da Ilha sofre muito. Os passageiros perdem normalmente cerca de três horas, por dia,no deslocamento casa e trabalho. Além de acordar muito cedo os trabalhadores, enfrentam a demora dos ônibus e quando conseguem finalmente embarcar é enorme o desconforto de viajar em pé em veículos superlotados. Quem é obrigado a viajar de ônibus, normalmente não dispõem de carro próprio e nem recursos para gastar R$ 20,00 diariamente para usufruir do conforto dos frescões com ar condicionado e poltronas confortáveis.
              A mobilidade urbana precisa de soluções urgentes na Ilha. Com cerca de 300 mil habitantes a região tem graves problemas que sacrificam a população nos ônibus, vans e barcas. A absoluta falta de confiança nos maus serviços que essas modalidades de transporte oferecem não faz sentido e é injusta se comparadas aos preços das passagens que cobram. Com o preço estratosférico dos combustíveis mais pessoas estão deixando o carro na garagem e passam a usar os transportes coletivos que não se modernizam e as empresas não melhoram as frotas para atender a nova demanda. Pelo contrário, a maioria das barcas, ônibus e vans, ainda são de veículos velhos, inseguros e sem manutenção.  Baratas, sujeira e falta de assentos se somam a rotina de veículos nas ruas que param de funcionar e deixam os passageiros na mão.
              Com a proibição de vans no trajeto até Bonsucesso não foi criada alternativa para resolver o transporte de milhares de pessoas que precisam se deslocar diariamente para aquele bairro. Os problemas de mobilidade se acumulam. Nos últimos 20 anos, absolutamente nenhuma mudança no transporte de passageiros trouxe benefícios para a população. Nenhuma!

joserichard@uol.com.br