sexta-feira, 13 de maio de 2016

Expectativa no Brasil é de retomada do crescimento e que o país pare de andar para trás


         Torço que com as mudanças no comando do país seja retomado o crescimento da economia, as empresas voltem a contratar e diminua a quantidade de famílias que estão desesperadas por causa do desemprego. Segundo as informações oficiais são cerca de 11 milhões de brasileiros em busca de oportunidades de trabalho, e esse número aumenta a cada mês.
        Na Ilha do Governador, o desemprego atingiu uma massa enorme de trabalhadores quando o Estaleiro Eisa demitiu no final do ano passado cerca de 3 mil funcionários, a maioria, moradores da Ilha. Além do pesadelo do desemprego, a falta de recursos para pagar as contas básicas como aluguel, água e luz, as demissões geraram prejuízos incalculáveis na economia da região que sofreu o efeito dominó provocando mais desemprego. A consequência é que todas as atividades da cadeia produtiva e comercial diminuíram seus negócios e o desânimo tomou conta de muita gente que poderia estar investindo para gerar novas atividades e vagas de trabalho. 
        A mudança política traz esperança para o mercado e principalmente para as atividades comerciais que sempre têm expectativas otimistas e precisa do desenvolvimento para crescer. A grande massa de gente que está desocupada vive momentos de apreensão e quer rapidamente encontrar um novo trabalho para voltar a sorrir e reencontrar a felicidade. 
       O péssimo desempenho da gestão do país, nos últimos anos, provocou grandes prejuízos aos brasileiros e o preço que todos nós pagamos foi muito alto, razão pela qual, temos que pedir a Deus que ilumine as mentes dos novos dirigentes do país para que tomem as decisões certas e o Brasil volte a crescer imediatamente. 

terça-feira, 10 de maio de 2016

Vans fazem da Ilha o império da desordem no trânsito

             Calçada é usada como estacionamento de van

            Até quando vai durar o império da desordem no sistema de trânsito da Ilha ninguém sabe, nem pode prever. A bagunça é grave e nenhuma autoridade faz absolutamente nada para tentar resolver. O pesadelo nas ruas ainda deverá durar muito tempo para intranquilidade da população. Também não ouço falar, nem nos bastidores, que algum órgão de fiscalização tenha algum tipo de plano em mente para mudar este cenário de verdadeira arruaça.
             É um desrespeito ao cidadão. E como ninguém, absolutamente ninguém, organiza, orienta nem fiscaliza nada nas ruas, não precisa bola de cristal para prever que a desordem vai continuar e os desaforados do trânsito vão ganhar mais espaço, enquanto a vida vira um inferno para os demais nas ruas da Ilha. 
            Uma prova de que as coisas funcionam mal: nesta semana assisti a ação de uma equipe da Guarda Municipal que agia silenciosamente em ruas transversais de pouco movimento do Jardim Guanabara multando e guinchando veículos mal estacionados. Enquanto isso, a poucos metros, na Estrada do Galeão, dezenas de irregularidades simultâneas, com riscos a pedestres e outros motoristas rolavam absurdamente. Vi vans trafegando com portas abertas e outras estacionadas no ponto de ônibus, a espera da lotação do veículo, provocando congestionamentos e impossibilitando que passageiros de ônibus - obrigados a ficar em fila dupla -, descessem em segurança. Um absurdo! 
            A desordem impera nas principais vias da Ilha - Estradas do Galeão, Cacuia, Dendê e Avenida Paranapuan – cujo movimento é intenso a qualquer hora do dia e, onde a omissão das autoridades é absoluta, reinando as maiores irregularidades no trânsito da cidade. Até quando?