sábado, 15 de outubro de 2016

CAOS NO TRÂNSITO DA ILHA É GERADO POR PLANEJAMENTO RUIM, AÇÕES INCORRETAS E ABSOLUTA FALTA DE FISCALIZAÇÃO

Novas câmeras e velocidade controlada 
muito perto do sinal confundiu os motoristas

               As trapalhadas no trânsito e nas ruas da Ilha tem pelo menos um grande responsável que é a CET Rio, órgão da estrutura municipal, cujas responsabilidades incluem estudos para autorização de obras para colocar quebra molas, sinais, criar ou fechar retornos, mudar o sentido das ruas entre outras atribuições como localização de pontos de ônibus, etc.
               Um exemplo dessa confusão é a possível reabertura, diante da pressão dos motoristas e comerciantes, do retorno fechado há cerca de duas semanas na Estrada do Galeão.
               É estranho que aparentemente o órgão não tenha realizado nenhum estudo de impacto nas vias internas como na Rua Sargento João Lopes que congestionou ao ser transformada em um caminho alternativo para o retorno fechado.
               É estranho, também. a recente localização do ponto final de ônibus da linha 739L (Ilha x Vilar dos Teles) no Aterro do Cocotá, que prejudica a circulação de veículos junto a UPA e a Clínica da Família.
               Foi desconcertante, há pouco mais de dois meses, a instalação, na Estrada do Galeão, de placas de velocidades diferentes a cada 200 metros, além de novos radares, câmeras e medidores de velocidade muito perto do sinal na Praça do Avião. A confusão provocou diversos acidentes e até hoje confunde os motoristas.
               Duvido que todas essas confusões tenham partido dos técnicos da CET Rio, a não ser que a verdadeira intenção do órgão seja testar os nervos dos motoristas da Ilha. A verdade é que as autoridades do trânsito conseguiram transformar as ruas da Ilha em um verdadeiro caos, onde o império das vans domina, causando grandes transtornos a vida dos insulanos.