sábado, 3 de dezembro de 2016

OS BANCOS EXPLORAM A POVO BRASILEIRO E A CADA DIA TRATAM PIOR SEUS CLIENTES DIFICULTANDO ATÉ O PAGAMENTO DE UMA SIMPLES CONTA. ESTIMULAM O USO DA INTERNET ONDE "CONVERSAMOS" COM FRIOS COMPUTADORES

Quando um banco está mal o governo ajuda com dinheiro público

             Com a situação econômica do Brasil precisando de tratamento para sair do CTI, não vejo nenhum movimento para ajudar o país a sair desta situação, cuja origem são as organizações financeiras que continuam explorando a população e obtendo lucros fantásticos. Falo dos bancos, empresas insensíveis, que comemoram lucros extraordinários a cada trimestre, enquanto o restante dos brasileiros sofre com a falta de dinheiro e emprego.
              Eles, os donos do nosso dinheiro, dificultam cada vez mais os serviços que antes prestavam à população, como, por exemplo, o simples pagamento no caixa de contas de luz, e criam normas excludentes para a população menos favorecida. Os juros já chegam a impensáveis 400% e as autoridades não fazem nada para defender a população endividada que nesse momento precisaria de amparo para viver.
            Hoje, é quase impossível ter uma vida normal sem depender dos bancos, seja para realizar pagamentos ou comprar qualquer objeto. O dinheiro de papel foi substituído pelo cartão em função das facilidades e o perigo de ser assaltado. O brasileiro está forçado a ter conta no banco cuja contrapartida é absolutamente nenhuma. Tudo é cobrado. Devolvem cheques por divergência de assinatura sem avisar o correntista para deixar a conta devedora e cobrar juros estratosféricos. É má fé.
              Na Ilha do Governador, o Itaú, por exemplo, tem oito agências, mas as empresas precisam se deslocar até outra região – Bonsucesso –, tudo feito para complicar a vida do correntista. 
              Enquanto nós estamos distraídos com as loucuras e prisões dos políticos e empresários de construtoras, o Brasil sangra e os bancos festejam os lucros obtidos “legalmente” da população refém de um sistema bancário que não gera nenhuma riqueza para o Brasil. Muito pelo contrário, só explora o povo e o país. Na Ilha eles não participam nem apoiam nada.

domingo, 27 de novembro de 2016

ILHA ESTÁ SE TRANSFORMANDO EM ÁREA DE DESOVA DE CARROS ROUBADOS E DO GOLPE DO SEGURO

Uma das carcaças abandonadas em cima de uma calçada na Ilha

            A Comlurb informou nesta semana, que cerca de 20 veículos abandonados nas ruas e calçadas da Ilha, são enviados mensalmente para um depósito público localizado na cidade de Duque de Caxias.
             Infelizmente, com essa declaração, do órgão público responsável pela remoção de veículos e carcaças abandonadas, está confirmada a suspeita de que as ruas da Ilha do Governador estão sendo utilizadas como verdadeiros depósitos de carros cujas procedências são evidentemente criminosas.
             A Polícia Militar já teria manifestado suspeitas de que carros roubados em outras regiões da cidade estariam sendo transportados para as ruas da Ilha e incendiados. A desconfiança é de que seriam veículos utilizados em crimes, que após depenados, estão sendo deixados na “lixeira”, se é que existe termo mais digno. Por outro lado, a polícia suspeita que uma quadrilha especializada no golpe do seguro, também tenha a Ilha como lugar para essas desovas.
             Até pouco tempo, as margens da estrada que dá acesso ao bairro de Tubiacanga, era o local preferido para essas ações fora da lei. É possível que o funcionamento da maior unidade do Detran no Estado, logo na entrada dessa via, tenha inibido os bandidos, diante do movimento e a presença de autoridades nas redondezas.
             Quem queima um carro quer esconder algum crime, e essas ações precisam ser investigadas pela polícia. Para ajudar as autoridades nessas investigações e acabar com essa mania criminosa de deixar esses entulhos nas ruas da região é necessário comunicar às autoridades a placa dos reboques e caminhões que abandonam esses veículos que tanto transtorno traz aos moradores da Ilha.